Sábado, 16 Fevereiro 2019
previous arrow
next arrow
Slider

Neste domingo, 20, uma tromba d'água deixou um morto e um número ainda incerto de desaparecidos em Itatiaia. O caso ocorreu no rio Campo Belo (que subiu ,aproximadamente, três metros), começando no alto do Parque Nacional do Itatiaia e seguindo até o ponto turístico conhecido como Paraíso Perdido. O corpo não teve seu nome divulgado, mas seria de um homem de 60 anos. Na manhã desta segunda-feira, uma equipe do Corpo de Bombeiros está no local retomando as buscas por desaparecidos.  

Uma tromba ou cabeça d'água ocorre quando há umaumento repentino e rápido em um rio corrente e cheio. Entretanro, de acordo com informações divulgadas pelo Corpo de Bombeiros, não chova à altura da parte baixa do rio Campo Belo.

Com informações do portal G1. 

Os familiares de Luana dos Santos Gomes, moradora da Rua Cristiano Ottoni, no Centro de Barra do Piraí, buscam informações sobre ela, que está desaparecida desde a semana passada. Através das redes sociais, eles disponibilizaram telefones de contato para quem tenha alguma pista sobre ela, que é casada e mãe de dois filhos pequenos.

Quem souber de alguma informação que possa ajudar a encontrar Luana dos Santos Gomes, entre em contato nos telefones: (24) 2442-9082 ou (24) 99259-5962 (whatsapp).

Foto: Reprodução Redes Sociais

Durante o ano de 2018 foram registrados 101 atropelamentos ou abalroamentos  na linha férrea sob concessão da MRS, exatamente o mesmo número se comparado ao ano anterior. O resultado, apesar de muito bom em comparação a outros anos, é um alerta para pedestres e motoristas que atravessam a ferrovia, já que a imprudência continua sendo a principal causa e o maior obstáculo para a formação de uma cultura de segurança perante a linha férrea.

 Em Juiz de Fora (MG), um dos municípios mais críticos com relação às ocorrências ferroviárias na malha da MRS, foram registrados 13 acidentes, 13% a menos que no ano anterior. Na sequência, as cidades com mais ocorrências foram Barra do Piraí (RJ), Nova Iguaçu (RJ) e Congonhas (MG), todas com 5 acidentes registrados.

A tese de que não há uma concentração geográfica das ocorrências, tendo em vista que os atropelamentos ou abalroamentos são provocados pelo comportamento imprudente nas proximidades da ferrovia, um componente imprevisível, foi evidenciada mais uma vez. Diversos municípios sem histórico de acidentes ferroviários em 2017 retornaram ao mapa, tais como Congonhas, Ewbank da Câmara (MG) e Pindamonhangaba (SP).

“Apesar de todos os esforços de conscientização junto às pessoas que convivem com a ferrovia, os acidentes continuam sendo causados pelo comportamento inadequado de uma minoria de pessoas que ainda insistem em se arriscar nas proximidades da linha férrea. Estamos falando de imprudência, desatenção e falta de avaliação dos riscos na hora de atravessar a ferrovia.”, afirma Washington Noé, Gerente Geral de Segurança e Meio Ambiente da MRS.

Nos últimos dois anos, 78% das ocorrências foram registradas em trecho corrido, sendo que em 30% desses casos houve envolvimento de pessoas alcoolizadas. Em relação aos abalroamentos registrados na malha da MRS, 48% são causados pela desatenção dos motoristas, sendo 85% condutores do sexo masculino. Dicas simples como seguir a orientação das placas afixadas nas passagens em nível, parar antes de cruzar a ferrovia, olhar para os dois lados e escutar poderiam diminuir consideravelmente essa incidência de abalroamentos.

A forte chuva de ontem (16) causou transtornos em diversos bairros de Volta Redonda. Por conta de uma árvore e um poste que caíram em cima de um veículo na Vila Santa Cecília, o bairro Conforto e parte do comércio da Vila ficaram sem luz. Não houve registro de feridos e o trânsito ficou parado por horas.

No bairro Eucaliptal, na Rua Emílio de Meneses, um muro de uma residência caiu, sem deixar feridos. Em Barra Mansa, houve queda de uma árvore no bairro Boa Sorte, também sem feridos registrados.

A defesa civil de Volta Redonda e o Corpo de Bombeiros foram acionados para atender a todas as ocorrências durante o fim da tarde e toda a noite. Alguns pontos de Volta Redonda ficaram mais de 12 horas sem luz e outros chegaram a ficar 24 horas. O bairro Laranjal e a Rua Erica Berbet, na Vila Rica, segundo o site Foco Regional, estão completamente sem luz desde ontem à tarde.

Foto: Reprodução Redes Sociais

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!