Quinta, 27 Junho 2019
previous arrow
next arrow
Slider

Há algum tempo circula pela internet um boato de que o inverno de 2018 seria um dos mais rigorosos de todos os tempos. Mas não passa disso: uma mera fake News da rede, como aquelas previsões de fim de mundo que aparecem todos os anos. Segundo os meteorologistas, o inverno de 2018 terá temperaturas amenas, devido a ausência dos fenômenos La Nina e El Nino que costumam gelar os nossos invernos.
É o que diz, por exemplo, o site do Climatempo, que serve de base para aquelas previsões meteorológicas que aparecem nos telejornais. Segundo o Climatempo, as águas da região centro leste do oceano Pacífico estiveram muito frias durante o verão, mas esquentaram nas últimas semanas. Sem La Niña e sem El Niño estamos tendo um outono seco, quase sem chuva, o poderemos ter um inverno de temperaturas amenas. Com algumas quedas ocasionais provocadas pela passagem de frentes frias.
Outros meteorologistas acham que o inverno de 2018 será parecido com o de 2013, quando houve uma queda brusca de temperatura na semana de 25 de julho, mas na média não foi um inverno muito frio. A recomendação dos especialistas é que as pessoas comprem agasalhos mais leves, para usar nas tardes frias, mas nada de investir naqueles casacos polares dignos de um inverno nova-iorquino.
Num ponto em que os especialistas ainda não chegaram a um acordo é quanto a quantidade de chuvas. Há quem aposte que o inverno de 2018 vai ser mais nublado e chuvoso, sem aqueles dias secos do inverno passado. O fato é que tivemos um outono com poucos dias de chuva, que se concentrou mais na região norte e na Bahia. A falta de chuva está preocupando o setor elétrico devido ao baixo nível dos reservatórios. O de Cantareira, em São Paulo está com apenas 30% da sua capacidade e a situação de Furnas e outros reservatório também não é boa.
Não teremos uma crise hídrica como a de 2015, quando o Cantareira ficou no volume morto, mas se não chover no inverno o país terá que voltar a ativar as usinas termoelétricas. O que sempre coloca a conta de luz na bandeira vermelha. Outra coisa que afeta a intensidade do inverno é o nível de atividade solar, que aumenta e diminui num ciclo de onze anos. E o auge deste ciclo só deve acontecer daqui a dois anos.
A meteorologia ainda não é uma ciência exata e não é possível prever, com certeza de 100% o que vai acontecer. Mas a chance de termos o inverno mais frio dos últimos cem anos, como diz a internet, é muito pequena.

Trânsito na rodovia Lúcio Meira que liga Além Paraíba até a cidade de Volta Redonda  de acordo com a concessionária que administra a rodovia , o transito não esta  no sistema de segui e pare até o momento não houve registro de acidentes pela rodovia Lúcio Meira.

Presidente Dutra: Pista sentido RIO – SP

Presidente Dutra: Pista sentido SP - RIO com tráfego lento na pista Marginal

Pista sentido RIO - SP com tráfego lento na pista Expressa.

Na Serra das Araras em Piraí

Na região de Piraí e Paracambi até o memento o trânsito segue normalmente sem congestionamento;

De acordo com a nova Dutra o trafego esta livre tanto na descida quando na subida e hoje não houve registro de acidentes

Já em Barra do Piraí -  

Os motoristas deve ter paciência. O transito neste momento no centro barrense é de lentidão. Então você que pretende vir ao centro barrense de carro precisa ter paciência.

 

http://www.novadutra.com.br/

http://www.rodoviadoaco.com.br/site/index.asp

Barra Mansa– O desembargador da 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), Ferdinaldo do Nascimento, confirmou a liminar obrigando o município de Barra Mansa, suspender a determinação estabelecendo que alunos deveriam rezar a oração do Pai Nosso, nas escolas da rede pública municipal.

O magistrado destacou que o Estado brasileiro é laico e considerou que a prática viola a liberdade religiosa dos estudantes, que estão em desenvolvimento de aprendizagem. A liminar fixou multa diária, no valor de R$10 mil, por cada descumprimento da ordem.

De acordo com o magistrado, a prova documental anexada ao processo, aponta inexistência de perigo de irreversibilidade dos efeitos da decisão.

“O Estado não pode fomentar segregações religiosas, separatismos, discórdias, preconceitos, como se aquelas crianças que permanecerem no local e rezarem o Pai Nosso fizessem mais parte da Escola, ou estivessem mais adaptados e aptos a ela, do que aqueles que optaram por não fazê-lo”, escreveu o relator ao destacar que as provas confirmam a versão apresentada pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro (SEPE/RJ).

Determinação

No ano passado a Secretaria de Educação determinou que os alunos deveriam rezar a oração do Pai Nosso nas escolas diariamente, após cantar hinos cívicos. Na ocasião a secretaria informou que a oração do Pai Nosso, por ser universal, “é aceita pela maioria das manifestações religiosas”.

Vassouras – O Escritório Técnico da Região do Médio Vale do Paraíba do Iphan-RJ (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) tem um intenso trabalho desenvolvido em Vassouras. De acordo com a chefe do escritório, Luciana Pappacena, um dos trabalhos em andamento é na sede da Asepava (Ação Social dos Paroquianos de Vassouras).

O projeto para a obra veio da PACH (Planos de Ação para Cidades Históricas) e obra será custeada pelo Iphan. A Asepava, explicou Luciana, é um dos 70 imóveis pertencentes ao conjunto tombado de Vassouras.
– Além disso, temos a inauguração da Casa de Cultura Cazuza, recém-restaurada pela Lucinha Araújo, mãe do cantor Cazuza. Teremos em breve o início da obra de restauração do Asilo Barão do Amparo, que acaba de ser adquirido pelo empresário Ronaldo Cesar Coelho e que possui projeto de restauro aprovado com verba do PACH. Ainda em Vassouras, temos também a recém-iniciada obra de restauração da Fazenda Santa Eufrásia, cujo o imóvel tombado é fiscalizado pelo Iphan – destacou.
De acordo com Luciana, esse ano é celebrado o aniversário de 60 anos de tombamento do Conjunto Paisagístico e Urbanístico na cidade. A data será comemorada no dia 26 de junho. Entre as maiores dificuldades enfrentadas pela unidade, ela ainda aponta a falta de compreensão da importância da preservação para a qualidade de vida nas cidades e para a pesquisa. Fora isso, destaca, as dificuldades são institucionais: corpo técnico reduzido e orçamento que não faz frente às necessidades.
Em relação a apoio regional aos projetos, Luciana afirma que de certa forma todas as prefeituras mantém um bom relacionamento com o ETMP.
– Como o Iphan não é um órgão captador de recursos, isto é feito pelas prefeituras (através de emendas parlamentares) e pela iniciativa privada via Lei Rouanet – esclarece.
De acordo com Luciana, atualmente três conjuntos de bens estão tombados pelo Iphan em Vassouras. A Fazenda Santa Eufrásia; Museu Casa da Hera e o Conjunto paisagístico e urbanístico de Vassouras (composto por 04 praças; calçamento, arborização e diversas edificações). No caso da Fazenda Santa Eufrásia, ela possui importante acervo composto por mobiliário, louças e objetos comuns a uma residência do século XIX, dentre os quais se destacam a liteira e as carruagens. Compõe ainda o acervo o bosque e a represa, esta criada para mover a roda d’água do antigo engenho. O bosque guarda árvores centenárias e de madeira de lei.
Já o Museu Casa da Hera Atual Museu Casa da Hera, é uma construção da primeira metade do século XIX, onde viveu a família de Joaquim José Teixeira Leite. A casa de chácara é um dos mais expressivos exemplares de residência senhorial dos áureos tempos do café. Além do mobiliário, quadros e objetos de uso doméstico, seu acervo inclui vasta biblioteca e coleção de trajes de origem francesa, considerada uma das mais importantes do Brasil.
Com último bem tombado se destaca o conjunto paisagístico e urbanístico de Vassouras (composto por 04 praças; calçamento, arborização e edificações).
– Cada proprietário é responsável por seu imóvel seja ele tombado ou não. São os proprietários que mantém seus patrimônios pessoais, seja pessoa jurídica seja pessoa física – diz.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!