Sexta, 27 Novembro 2020
previous arrow
next arrow
Slider

A vítima, identificada como Jonathan Oliveira, de 27 anos, quebrou o pescoço com o impacto da batida em um poste na Avenida Major Mário Salgueiro (Foto: Redes Sociais)

Na madrugada desta segunda-feira (09), Jonathan Oliveira, de 27 anos, morreu após colidir com sua motocicleta em um poste na Avenida Major Mário Salgueiro, bairro Santana, em Barra do Piraí.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motociclista perdeu o controle da moto quando trafegava pela avenida e colidiu com um poste, sendo arremessado na pista junto com o garupa da moto, que teve ferimentos moderados e segue internado na emergência do Hospital Santa Casa, em estado estável.

O corpo foi removido para o IML de Barra do Piraí, onde passou pelo processo de necropsia.

A Justiça Federal do Amapá determinou, na noite de ontem (7), que a empresa multinacional Isolux restabeleça o fornecimento de energia elétrica em todo o estado no prazo de três dias. A decisão do juiz João Bosco Costa Soares da Silva fixa multa de R$ 15 milhões em caso de descumprimento. A informação é da Agência Brasil

Na terça-feira (3), um incêndio danificou os três geradores de eletricidade da subestação de energia da Isolux, em Macapá, gerando um apagão no estado, que também prejudicou o fornecimento de outros serviços, como água e comunicações. Até esse sábado, de acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME), 65% do fornecimento de energia já havia sido retomado. “A situação vivenciada pela sociedade amapaense nos últimos dias é deveras calamitosa, surreal”, escreveu Silva.

O magistrado marcou uma inspeção judicial na subestação para terça-feira (10), para averiguar o andamento das obras de reparação e o cumprimento parcial da decisão. De acordo com o documento, a Isolux deve apresentar em até 12 horas um plano de ações para o restabelecimento do serviço.

Também em um prazo de 12 horas, deve ser constituído um grupo de trabalho com MME, Eletrobras, Eletronorte, Isolux e Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) para estabelecer os procedimentos para solução da crise energética. Além disso, foi ordenada a instauração de um inquérito do Tribunal de Contas da União (TCU) e Polícia Federal (PF) para apurar o caso.

Na decisão, o juiz faz críticas ao governo federal ao se responsabilizar pelo controle da crise e questiona o sistema de fiscalização federal da Eletronorte sobre a empresa contratada, responsável pela subestação. “A atual reparação de danos está sendo capitaneada apenas pelo governo federal, sem que haja qualquer ônus para a contratada e responsável pela subestação, empresa privada Isolux, o que configura, inclusive, hipótese de improbidade administrativa e crime”, diz o magistrado.

De acordo com a decisão, a Isolux deve ressarcir os entes públicos pelos recursos gastos no restabelecimento dos serviços e que eram obrigações contratuais da empresa. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Eletronorte também devem aplicar as sanções à empresa concessionária em decorrência de “eventual conduta negligente ou dolosa” e apresentar à Justiça, em até cinco dias, a comprovação de que fiscalizaram regularmente o contrato com a Isolux. Também deve ser apresentado o contrato e montantes pagos nos últimos 12 meses entre a Eletronorte e a Isolux e a empresa responsável pela fiscalização.

As empresas de telecomunicações estão trabalhando em conjunto em prol da população do Amapá durante a crise energética que atinge o estado. Neste sentido, as operadoras de telecomunicações decidiram liberar o roaming no estado a partir deste fim de semana. Com a medida, que está em vigor desde ontem, os clientes de uma operadora poderão utilizar as redes das demais nos municípios afetados. Com isso, os usuários terão mais alternativas para acessar os serviços de internet e telefonia no estado, informa o SindiTelebrasil, entidade que representa o setor de telecomunicações no país.

Grande parte do estado está sem energia elétrica há seis dias, após um incêndio na subestação de Macapá na noite da última terça-feira (3), que causou o desligamento de linhas de transmissão no estado, conforme nota do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Apesar de estarem fazendo a sua parte para minimizar os transtornos causados à população pelo não fornecimento de energia, as empresas de telecomunicações também estão sendo atingidas pelo problema. Isso porque elas dependem de eletricidade para oferecer os seus serviços e também têm tido dificuldades no acesso à energia e combustíveis.

Para o enfrentamento da situação, as operadoras estão em contato com os governos federal, estadual e com a Anatel, que é o órgão regulador do setor. As empresas de telecomunicações estão, mais uma vez, deixando a competição em segundo plano e têm o compromisso de atuar, juntas, no sentido de buscar caminhos para colaborarem junto à população no enfrentamento deste momento de dificuldades para o Amapá.

Nesta segunda-feira, 09, os municípios de São Gonçalo e Itaboraí, na Região Metropolitana, Bom Jesus de Itabapoana, no Noroeste Fluminense, e Porto Real, no Sul do estado, abrem suas escolas da rede de ensino estadual para os alunos das turmas da 3ª série do Ensino Médio e do Módulo IV da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que optarem pelas aulas presenciais. Na quinta-feira, Angra dos Reis também optou pelo retorno.

Com a adesão desses cinco municípios, a lista de retomada do ensino em sala de aula da Secretaria de Estado de Educação sobe para 13 cidades, somando 511 unidades escolares, com a possibilidade de adesão de 68 mil alunos. Os municípios da lista de flexibilização são: Angra dos Reis; Bom Jesus de Itabapoana; Duque de Caxias; Itaboraí; Mesquita; Natividade; Nilópolis; Niterói; Porto Real; Rio de Janeiro; São Gonçalo; Seropédica e Sumidouro.

No restante do estado, as atividades pedagógicas continuam exclusivamente remotas, por decisão das prefeituras ou por conta da classificação de contágio de cada região. Esta semana, com a mudança de bandeira da Baixada Litorânea para laranja, estão suspensas as aulas presenciais no município de Casimiro de Abreu.
Mesmo sem aulas presenciais, todas as escolas da rede permanecem abertas, em horários adaptados e já orientados, para que estudantes ou responsáveis retirem material didático, além do kit alimentação.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!