Terça, 12 Novembro 2019
previous arrow
next arrow
Slider

Parte da sede do Barra Tênis Clube irá a leilão nesta segunda-feira

Por dívidas trabalhistas, quadra de futebol society e vestiários de tradicional clube barrense irão a leilão hoje (14), às 13 horas, presencial e eletrônico. Ex-presidente do clube fala sobre situação financeira e pede apoio ao BTC (Foto: Reprodução) 

De acordo com o site www.leiloesjudiciais.com.br parte da sede do tradicional clube barrense Barra Tênis Clube, irá a leilão presencial e eletrônico nesta segunda-feira (14), às 13 horas. As ofertas poderão ser dadas pelo site citado, ou na sede da Justiça do Trabalho, em Barra do Piraí, na Rua Senador Arlindo Rodrigues, nº 5, no Centro.

Segundo detalhes da publicação, de responsabilidade de Fábio Guimarães, leiloeiro oficial, o terreno comercial de 768,31 m², que integra o campo de futebol society e vestiários, localizado na Av. Amaral Peixoto, nº 275, no bairro Chácara Farani, passará por leilão hoje, com lance mínimo de R$ 475 mil.

Procurado por nossa reportagem, o atual presidente do clube, o advogado Dr. Reinaldo Luís, que na gestão passada fazia parte da direção jurídica do BTC, não respondeu às mensagens em seu whatsapp e não atendeu às nossas ligações, com o objetivo de confirmar essa informação (sobre o leilão) e saber mais detalhes sobre as questões judiciais do clube. Tentamos também contato através dos telefones da sede do clube (24) 2442-0030 e 2443-6515, porém, ambos estavam desligados até o fechamento dessa edição.

Ao ser questionado sobre o leilão, o ex-presidente do clube nos últimos dois mandatos, o também ex-vereador Gustavo de Carvalho Horta Jardim, o ‘Gustavo Guy’, que hoje é o presidente do conselho de sócios do clube, declarou que, quando presidente, não havia conselho e por isso ele ficava “engessado” para tomar decisões que precisavam de seu suporte. Hoje, segundo ele, o conselho e a presidência, que conta com uma diretoria administrativa atuante, trabalham juntos para o pagamento e negociação de dívidas do passado.

“O BTC precisa de ajuda e o verão está chegando. Neste momento de dificuldade, é importante que os tradicionais sócios voltem ao clube, que essa identidade do Barra Tênis Clube forte seja resgatada. A presidência e o conselho estão empenhados em criar ações para que o clube consiga se reerguer. Para te dar um exemplo, o conselho aprovou a venda de alguns títulos para sanar algumas necessidades e reformar as quadras de tênis, de areia e, principalmente, a rede elétrica do clube. Essas ações geraram uma economia de três mil reais logo no primeiro mês. Em relação ao leilão, será o segundo no mesmo local. O BTC passa, desde a minha gestão, por uma reformulação. Uma renovação que demora a acontecer, ainda mais pela falta de recursos. Quando entrei, o clube tinha uma folha salarial enorme, com três meses de atraso, que se tornou uma verdadeira bola de neve. Reduzimos a folha salarial em quase R$10 mil, demitimos vários funcionários que tinham um custo alto e contratamos novos, pagando salário mínimo.”, explicou Guy, em relação às questões estruturais do BTC.

Em relação às dívidas trabalhistas, Guy disse que, por conta dessa reformulação, foi gerado um passivo trabalhista com 18 funcionários. “Conseguimos quitar ou negociar essas dívidas trabalhistas com 13 dos 18 funcionários demitidos. Dois funcionários que trabalharam por mais de 20 anos no clube decidiram entrar na justiça contra o BTC, que hoje, tenta buscar uma alternativa, um acordo para acertar essa situação. Algumas medidas internas, dentro do estatuto, estão sendo feitas para gerar receita e, com isso, recursos para o pagamento dessas dívidas. Não tem faltado esforço para arcar com nossos compromissos com os credores. Um destes prossegue com um processo contra o clube, que gerou o leilão.”, finalizou.

Por fim, fizemos contato com o filho do ex-funcionário do BTC que move uma ação contra o clube, que segundo Guy, é a responsável pelo leilão. Ele explicou que apenas o advogado de seu pai está preparado para falar sobre isso. Até o fechamento dessa edição, não conseguimos contato com a pessoa indicada.

Sobre os leilões judiciais 

Segundo a Assessoria a Leiloeiros Oficiais – Gestão de Leilões Eletrônicos, o leilão é a forma mais democrática, cristalina e eficiente para transação de bens. É regido pela lei da oferta e procura, onde o preço é obtido pelo maior lance oferecido pelos interessados arrematantes.

Grandes empresas públicas e privadas, bancos e seguradoras utilizam-se constantemente dos leilões. Também os governos, para a venda de estatais. Toda a organização e divulgação fica a cargo do leiloeiro, permitindo que a empresa concentre sua atenção e esforços na atividade principal.

Geralmente o leilão extrajudicial alcança melhores preços que as licitações, e também não há recursos judiciais sobre o resultado obtido, diferentemente das licitações, onde isso frequentemente ocorre. Por ser público, o leilão garante total transparência das ações dos participantes no processo e revela cristalinamente a lisura dos envolvidos, ao tempo em que promove total liberdade e igualdade de condições aos pretendentes compradores, sem qualquer distinção. As técnicas do leilão são mais simplificadas e resolvidas ao bater do martelo, no próprio ato de arrematação.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!