Domingo, 22 Setembro 2019
previous arrow
next arrow
Slider

O Rio de Janeiro apresenta um potencial de R$ 54,8 bilhões em investimentos via concessões e Parcerias Público Privadas (PPPs) distribuídos em 142 oportunidades espalhadas por todas as regiões do estado. Os destaques são nos setores de saneamento, rodovias, coleta de lixo, iluminação pública, unidades de educação infantil e sistema prisional. O estudo ‘Oportunidades para concessões e PPPs no estado e municípios do Rio de Janeiro’ foi apresentado nesta quarta-feira, 15, durante o 91º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), que ocorre na cidade do Rio.

O gerente de Sustentabilidade e Infraestrutura da Firjan, William Figueiredo, discorreu sobre o assunto durante o painel “Oportunidades para projetos em municípios” da Comissão de Infraestrutura do ENIC. De acordo com o gerente, há oportunidades em todas as cidades brasileiras. “No entanto, é necessário que haja projetos bem estruturados para que as obras saiam do papel”, acrescentou Figueiredo.

Segundo ele, é fundamental que os estados e municípios sigam seis pilares fundamentais para atração do agente privado para um investimento: segurança jurídica, capacidade técnica, gestão fiscal, legislação, financiamento e garantias.

De acordo com o estudo, no Rio de Janeiro quatro setores estão consolidados para a participação do setor privado e que podem gerar investimentos para o estado e municípios: Rodovias (R$ 23,4 bi), Resíduos Sólidos (R$ 18,2 bi), Água e Esgoto (R$ 7,6 bi) e Iluminação Pública (R$ 1,4). Há oportunidade também em duas áreas consideradas tendências: Unidades de Educação Infantil (R$ 2,2 bi) e Sistema Prisional (R$ 2,1 bi).

Para o empresário Marcelo Kaiuca, presidente do Induscimento (Sindicato das Indústrias de Artefato de Cimento Armado, Ladrilhos Hidráulicos e Produtos de Cimento no Estado do Rio, destacou a importância da promoção de concessões e PPPs no estado do Rio e no país. “Para cada real aplicado na indústria da construção gera um número significado de empregos em toda a cadeia produtiva da construção. Quando se realiza um empreendimento habitacional, por exemplo, há investimentos em mão de obra, equipamentos, fornecedores, no mercado de revestimentos, entre outros”, afirma Kaiuca, que integra o grupo Setorial de Construção da Firjan.

Principal fórum de debates da agenda nacional da indústria da construção, a 91ª edição do ENIC reúne até amanhã (17/5) a cadeia produtiva, especialistas, pesquisadores, estudantes, representantes de entidades e do governo, que estão debatendo temas e tendências que vão impactar as empresas e profissionais do setor da construção nos próximos anos.

O ENIC tem a promoção da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio), da Ademi-RJ e Seconci-Rio. Patrocinadora oficial do evento, a Firjan SESI levou para o seu estande, os diversos serviços da entidade nas áreas de promoção social e saúde para a indústria e seus colaboradores.

Um estudo feito pela Firjan aponta que R$ 162,3 bilhões serão injetados no Estado do Rio de Janeiro nos próximos anos. O montante será distribuído em 111 projetos que estão em andamento ou prestes a serem iniciados em todos os setores. A região Sul Fluminense vai concentrar a terceira maior fatia de investimentos –12,4 bilhões – e ficará atrás apenas do Norte e da Baixada Fluminense.

O maior destaque está voltado ao setor de Petróleo e Gás Natural, que, sozinho, receberá R$ 10,7 bilhões, o equivalente a 86% do volume total de investimentos para a região Sul. As maiores iniciativas envolvem a construção de duas unidades estacionárias de produção para os campos de Sépia e Libra, em Angra dos Reis. Há ainda os investimentos em Resende para aumento de capacidade na indústria automotiva e desenvolvimento de novos produtos direcionados a países emergentes nas empresas Nissan e MAN Latin America, em Resende.

Outro destaque fica por conta dos projetos que hoje se encontram paralisados também na região. Devem ser injetados R$ 14,6 bilhões em projetos de obras de infraestrutura, como a construção da usina nuclear de Angra 3.

Na visão do presidente da Firjan Sul Fluminense, Antônio Carlos Vilela, os números divulgados pelo estudo representam a retomada da economia e da própria confiança dos empresários. “Quando esse tipo de investimento é sinalizado, acontece um estimulo de mercado. Respinga no dono do hotel em Angra, no proprietário do comércio em Resende e por aí vai. É a economia que gira pelo otimismo”. Vilela, no entanto, alerta. “Precisamos contar com o apoio das esferas municipal, estadual e federal para que a máquina burocrática não trave os investimentos.”

O presidente destaca a volta do incremento no setor de Petróleo e Gás em Angra dos Reis. “A região foi muito impactada pelo desemprego, aumento substancial da criminalidade e pela falta de investimentos. Essa notícia vem em uma hora muito oportuna e vamos trabalhar para manter esse ambiente de confiança”, finaliza.

Após quatro anos de recessão, os investimentos mapeados apontam reversão do quadro econômico no estado. O desenvolvimento desses projetos possui potencial de geração de empregos diretos e indiretos em sua implantação e ao longo de toda sua vida útil, com oportunidades para todos os níveis de qualificação.

No estado, destaque para a Transformação

Vale ressaltar que entre todos os projetos confirmados para o estado do Rio, 24 contam com participação direta de empresas estrangeiras, representando R$ 59 bilhões (36% do previsto para o estado). Isso evidencia a volta do Rio de Janeiro ao radar de investidores internacionais.

Além do setor de Petróleo e Gás, o Rio possui importantes investimentos confirmados em Indústria de Transformação, Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura. No setor industrial (R$ 19,9 bilhões), destaque para o PROSUB (Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil). O maior projeto nacional da Indústria de Defesa contempla, além da construção de complexo industrial, a produção de quatro submarinos convencionais e um de propulsão nuclear até 2029.

Em Desenvolvimento Urbano (R$ 5,5 bilhões), a maioria dos investimentos são públicos, com foco em urbanização, contenção de encostas e saneamento básico. O maior projeto é o Programa de Abastecimento de Água para a Baixada Fluminense, da Cedae, que contempla a estação de tratamento de água Novo Guandu.

Em Infraestrutura (R$ 3,1 bilhões), destaque para os investimentos no Porto de Itaguaí, visando ampliar a capacidade do Terminal de Granéis Sólidos (Tecar) e modernizar o terminal de contêineres (Sepetiba Tecon). No Porto do Rio de Janeiro, há investimentos confirmados para modernização do terminal de trigo e de seus acessos terrestres, com a construção da Avenida Portuária.

O Sebrae realizará, no próximo dia 16 de maio, em Volta Redonda, um encontro de negócios exclusivo para a cadeira produtiva de óleo e gás nas esferas de exploração, produção, refino e gás natural.  As inscrições estão abertas, e as informações foram divulgadas pela equipe de assessoria de imprensa do Sebrae. A ideia é, segue nota, promover um ambiente favorável para aproximação comercial entre os pequenos negócios e grandes empresas do setor. Trata-se de uma oportunidade de fazer network, conhecer potenciais clientes, fornecedores e parceiros, além da geração de negócios futuros.

No encontro, são realizadas reuniões comerciais simultâneas para apresentação mútua de produtos e serviços.  De acordo com a analista Nathalia Correa, durante a sessão de negócios, os empresários terão a oportunidade de apresentar seus produtos e serviços para todas as empresas, de uma forma dinâmica e ágil, proporcionando interação entre os participantes e negócios.

 

Programação

8h30 às 9h | Credenciamento

9h às 10h | Palestra Cenários e oportunidades do setor de petróleo e gás

10h às 11h | Palestra Introdução à indústria de transformação digital

11h às 11h30 | Apresentação de grandes empresas do setor

11h30 às 13h | Sessão de Negócios

Serviço

Encontro de Negócios Volta Redonda

Data: 16/05/2019

Local: CDL Volta Redonda (Rua Simão da Cunha Gago 19, Aterrado - Volta Redonda)

Investimento: R$50 (dois participantes por empresa)

Inscrições pelo site:  https://forms.gle/kSSL6B37BxAdVnbU8 (até 14/5/2019)

Informações: (24) 3347-3481 | 3347-5846

Com a necessidade de controlar custos e gerir com bons resultados, os restaurantes adotaram a ficha técnica. No lugar de improvisação, a ficha se tornou um importante instrumento de padronização, treinamento e controle de qualidade para os restaurantes. Desta forma, para apoiar os empresários do setor de gastronomia, o Sebrae realizará, no dia 30 de abril, às 10h, em Volta Redonda, a palestra Ficha Técnica para Serviços de Alimentação: Bar, Restaurante, Lanchonetes e Padarias. As informações são da assessoria de imprensa do Sebrae.

No encontro serão abordadas as etapas operacionais na produção de preparações, definição e verificação de per capitas, conceitos e exemplos práticos da elaboração de fichas técnicas, custos e suas aplicações, entre outras informações. De extrema importância para o restaurante e demais serviços de alimentação, a ferramenta padroniza a produção, com o registro de todas as etapas de elaboração dos pratos, ingredientes, quantidades e custo de produção. Ainda é possível manter custos e lucros sob controle (custos variáveis, despesas fixas e margem de lucro) do bar ou restaurante.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!