Segunda, 21 Janeiro 2019
previous arrow
next arrow
Slider

Animais peçonhentos: saiba o procedimento feito em Barra do Piraí em casos de envenenamento ou captura dos bichos

É comum, no verão, por conta da temperatura e de um ambiente propício para se proliferarem, o aumento de casos de adultos e, principalmente, crianças que são picadas por animais peçonhentos. Este tipo de acidente ainda é um sério problema no Brasil, tanto pelo número de casos registrados, como pela gravidade apresentada em alguns casos.

Uma das causas do grande aumento de acidentes nos últimos anos no país é o desmatamento, que por destruir o hábitat natural dos animais, faz com que eles “invadam” o ambiente urbano em busca de alimento.

Segundo o Ministério da Saúde, os animais que causam mais acidentes no Brasil são os escorpiões – que representam quase metade dos acidentes –, seguidos pelas cobras, aranhas, lagartas e outros animais.

A equipe de reportagem do Grupo RBP de Comunicação conseguiu, através da Secretaria de Saúde de Barra do Piraí, informações importantes sobre o procedimento que deve ser seguido após um acidente e, também, o que deve ser feito para que um animal peçonhento seja capturado, caso invada uma residência.

A bióloga sanitarista, Irineia Sant’Anna Rosa, diretora de Vigilância em Saúde de Barra do Piraí, afirma que em 2018 o número de acidentes registrados na cidade foi pequeno: apenas três pessoas deram entrada no Polo de Emergência da Santa Casa com picadas de animais peçonhentos e todas elas foram tratadas, medicadas e curadas sem sequelas.

De acordo com a bióloga, reforçado pela diretora do Posto Albert Sabin, Rosi de Assis, o procedimento após um acidente com animal peçonhento é o mesmo para adultos e crianças, com a diferença apenas do hospital de atendimento: os adultos são encaminhados ao Polo de Emergência da Santa Casa e as crianças para o Maria de Nazaré.

Na unidade médica, o paciente é medicado, é detectado o horário aproximadamente em que foi mordido e tem o ferimento limpo com água e sabão. É importantíssimo frisar que não se deve pressionar ou apertar o ferimento, isso apenas piora e aumenta a área de envenenamento podendo causar sequelas graves.

Não há estoque de soros antiofídico, antiescorpiônico e antiaracnídeo em Barra do Piraí, até por conta da quantidade baixa de casos na cidade. Com isso, assim que detectado o envenenamento, uma equipe da Secretaria de Saúde se dirige até o Polo de Referência de Soroterapia mais próximo, ou em Volta Redonda ou em Vassouras, e retorna com a vacina. Mesmo após a vacinação, o paciente precisa ficar internado por um determinado tempo, por conta do efeito neurotóxico do veneno, que pode causar confusão.

Em caso de captura de animal, o indicado é ligar imediatamente para o Corpo de Bombeiros, no 191, ou no telefone (24) 2442-7080. Os agentes são treinados e possuem os equipamentos necessários para a remoção dos bichos. Com a captura do animal, principalmente no caso de cobras, fica mais fácil saber qual o soro deve ser ministrado no paciente.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!