Domingo, 15 Dezembro 2019
previous arrow
next arrow
Slider

O governador Wilson Witzel participou, nesta segunda-feira (7/10), no Palácio Guanabara, da assinatura de convênio para a construção de um hospital e uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Miguel Pereira, na região Sul. A parceria entre o Governo do Estado do Rio de Janeiro, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde, e a Prefeitura da cidade fluminense, atenderá aproximadamente 100 mil pessoas, incluindo a população de cidades vizinhas como Paty de Alferes, Mendes e Paulo de Frontin. 

O hospital está orçado em R$ 18 milhões e a UPA em R$ 6 milhões. Além desses valores, o Governo do Rio fará um repasse de mais R$ 5 milhões para a compra de equipamentos como tomógrafo, aparelho de ultrassonografia, endoscopia e radiologia, entre outros. A previsão é que as obras sejam concluídas em até 18 meses após a publicação da licitação.

- Esta é uma notícia extremamente importante para o interior do estado. São R$ 29 milhões exclusivamente para o setor da saúde do município. Com este investimento vamos atender mais de 100 mil pessoas. É mais saúde para a população – disse o governador.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, os investimentos em saúde têm chegado a municípios de diversas regiões, como a Baixada Fluminense.

- Recentemente, anunciamos investimentos para o custeio de unidades em Nilópolis e Nova Iguaçu, sem contar com os cofinanciamentos. Esses recursos vão propiciar um atendimento de qualidade e humanizado aos moradores de Miguel Pereira e municípios vizinhos – ressaltou.

Hospital e UPA terão várias especialidades

O novo Hospital de Miguel Pereira terá 103 leitos, 10 UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo), além de um centro de parto natural, centro cirúrgico, ortopedia, cirurgia geral, pediatria, leito de saúde mental e obstetrícia.

Já a UPA de Miguel Pereira será construída em modelo de alvenaria. No térreo, funcionará o atendimento médico e, na parte superior, o Centro de Diagnóstico Precoce do Câncer, com mamografia, ultrassom, endoscopia e colonoscopia.

- Este é o maior investimento já feito na cidade pelo Governo do Estado. Com certeza ele será um dos mais modernos do Rio de Janeiro – destacou o prefeito de Miguel Pereira, André Português.

Outras melhorias

Além da verba para levantar o hospital e UPA e para a compra dos equipamentos, a Secretaria de Saúde já repassou mais de R$ 1,2 milhão à Prefeitura de Miguel Pereira para melhorias em outras áreas da saúde, como fortalecimento da atenção básica e compra de medicamentos. 

10 de setembro é lembrado como Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde indica que tirar a própria vida é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, atrás apenas de acidentes de trânsito. Segundo o panorama traçado pela entidade por gênero, entre as mulheres, o suicídio perde apenas para complicações relacionadas ao parto; entre os homens, está atrás de acidentes de trânsito e violência interpessoal. Ainda conforme o relatório, a cada 40 segundos, uma pessoa tira a própria vida no mundo e, todos os anos, 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos, superando homicídios, câncer de mama ou malária.

Setembro é o mês de conscientização e prevenção ao suicídio, por meio da campanha Setembro Amarelo. A cor foi escolhida por conta de uma tragédia: em 8 de setembro de 1994, um jovem chamado Mike Emme se matou dentro de um Ford Mustang amarelo, com um tiro na própria cabeça. O rapaz, apaixonado pelo veículo, que comprou para restaurar, tinha apenas 17 anos e, em seu funeral, foram distribuídos cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio, por iniciativa de seus pais, que encontraram o filho sem vida minutos após o suicídio. Mike deixara um bilhete, dizendo para que os pais não se culpassem pelo ocorrido.

O garoto era descrito como um jovem de "bom coração, generoso e bem-humorado", além de querido no bairro em que vivia com a família. Amarelo também é a cor do girassol, flor escolhida como símbolo da edição 2019 campanha no Brasil, que tem o nome "Na Direção da Vida - Sem Tabu", devido ao seu comportamento de buscar sempre a luz solar, ainda que encoberta por nuvens. A iniciativa, uma parceria entre a Upjohn, divisão de um laboratório francês voltada a doenças crônias não transmissíveis e a Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (Abrata), com participação do Centro de Valorização à Vida (CVV), tem o objetivo de desmistificar o tabu em torno da depressão, incentivando a busca por ajuda.

Se você tem pensamentos suicidas ou apresenta sintomas como tristeza constante sem motivo aparente ou sensação de vazio, procure ajuda profissional. O CVV disponibiliza de uma linha gratuita de atendimento voluntário 24 horas por dia em todo o território nacional, por telefone (188), chat ou email. Mais informações no site: cvv.org.br

Terceiro caso suspeito ainda está sendo analisado. Secretaria de saúde orienta moradores sobre prevenção e tratamento (Foto: Reprodução)

Nesta quinta-feira (29), a prefeitura de Barra do Piraí divulgou informações oficiais sobre a incidência da febre maculosa. De acordo com a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Irinéia Sant’Anna, o município registrou três casos suspeitos da doença. Desses, dois foram confirmados, com vítimas fatais. O terceiro caso ainda não foi confirmado, pois está na fase de análises laboratoriais.

A secretaria de Saúde, com o apoio do Governo do Estado, coletou nas residências dos pacientes os carrapatos, que foram levados para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para análise. A febre maculosa é ocasionada por uma bactéria transmitida pelo carrapato que se abriga em cavalos, bois, cães e capivaras. São popularmente conhecidos também como carrapato-estrela, carrapato de cavalo ou micuim.

Para maior atenção e cuidados à população, os agentes de combate a endemias e os comunitários, da Vigilância em Zoonoses de Barra do Piraí, estão recebendo treinamentos de técnicos da Fiocruz, para o combate à febre maculosa. Médicos e enfermeiros também receberão treinamento de médicos infectologistas da fundação, para saber como descobrir sintomas e sinais da doença.

“Queremos ressaltar que o autocuidado é indispensável na prevenção da doença. Então, ao retirar o carrapato da pele, lave o local com bastante água e sabão, até obter espuma. Este procedimento evita a contaminação”, explica Irinéia.

Vale lembrar: se você esteve em algum local propenso à presença de carrapatos e passou a sentir depois de uns dias sintomas como febre, dor de cabeça, dor no corpo e mal-estar, procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima e comunique ao médico seu contato com o inseto. A febre maculosa possui tratamento e apresenta 90% de possibilidades de cura, se houver o procedimento correto o quanto antes.

Após cinco anos, o Governo do Estado retomou o repasse de recursos financeiros aos municípios do Rio de Janeiro para a área de saúde. Só nos primeiros sete meses de 2019, cerca de R$ 230 milhões já foram destinados às 92 cidades fluminenses por intermédio do programa de cofinanciamentos da Secretaria de Estado de Saúde (SES). A pasta desenvolveu a estratégia da regionalização, a partir do foco no atendimento de saúde próximo do cidadão. A meta da secretaria é finalizar o ano com o valor total investido na saúde de R$ 500 milhões.

“O Estado está novamente assumindo seu papel de levar a saúde para próximo do cidadão, influenciando, através de políticas tecnicamente corretas, que os municípios melhorem os atendimentos de saúde. A ação da SES entende a saúde do ponto de vista da regionalização. Ou seja, o cidadão deve migrar o mínimo possível da sua residência até o local de atendimento para que tenha seus problemas solucionados com qualidade e conforto. Por isso, é fundamental a organização do sistema de saúde, que se dá a partir da atenção primária”, explicou o secretário de saúde, Edmar Santos.

Os investimentos são destinados para seis áreas de atuação: Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Hospitais, Atenção Primária de Saúde, Medicamentos e Exames e Cirurgias de Catarata.

Atenção Básica de Saúde foi incluída

Com o objetivo de estruturar as redes de emergência e urgência com a qualificação dos serviços ofertados, o programa de cofinanciamento da rede SAMU e das UPAs tem investimento total de R$ 73,5 milhões. Com a verba repassada, os municípios podem custear o pagamento dos profissionais e a compra de combustível, além de realizar manutenção nas viaturas.

Visto como fundamental para a composição completa do atendimento de saúde, o Programa Estadual de Financiamento da Atenção Primária à Saúde (PREFAPS) dá apoio à Estratégia Saúde da Família (ESF) dos municípios a partir da manutenção e expansão das equipes de saúde da família (eSF) e de saúde bucal (eSB). O valor do investimento é de R$ 33,4 milhões.

“Quando se investe na atenção primária também estamos falando em uma melhor oferta de saúde com menos gastos. Tratar de uma pressão arterial ou um diabetes é melhor do que depois tratar um infarto ou uma internação por Acidente Vascular Cerebral. E, às vezes, não dá chance para que a pessoa possa voltar a ter uma vida normal”, salientou o secretário.

O quarto cofinanciamento do Estado é destinado para a assistência farmacêutica básica, no valor de R$ 25,3 milhões. A medida garante que as cidades possam ter os medicamentos mais comuns para o primeiro atendimento aos pacientes. Isso incluiu remédios como analgésicos, antitérmicos, antibióticos e anti-inflamatórios.

Aplicação dos recursos em hospitais municipais e exames

O programa de cofinanciamento também prevê que a aplicação dos recursos seja para os hospitais municipais de cidades do interior com até 195 mil habitantes. Além disso, exames e cirurgias de catarata também receberam investimentos da administração estadual, na ordem de R$ 21,8 milhões.

“Muitas unidades, entre públicas e filantrópicas do interior fluminense, estavam com risco de pararem de funcionar, o que poderia gerar uma grave desassistência da população dessas regiões. O Programa de Apoio aos Hospitais do Interior contempla 79 hospitais municipais em 64 cidades do estado. Vários deles já estão atuando melhor, outros passando por reformas com o custeio a partir deste recurso financeiro. Um exemplo disso é Resende, no Médio Paraíba, que inaugurou um novo CTI”, lembrou Edmar, citando o investimento de R$ 42,5 milhões somente para essas unidades municipais.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!