Quinta, 02 Abril 2020
previous arrow
next arrow
Slider

Londres - Adam Castillejo, do Reino Unido, tornou-se a segunda pessoa curada do HIV e está livre do vírus há dois anos. De acordo com estudo publicado na revista The Lancet HIV, isso ocorreu depois de terminada a terapia antirretroviral e de já não haver necessidade de medicamentos. A informação é da Agência Brasil.

O homem de Londres foi submetido a um transplante de células estaminais, procedimento utilizado para tratar casos de linfoma. O doador tinha uma mutação conhecida como CCR5-delta 32, que o tornava resistente ao vírus da aids.

Em 2011, Timothy Brown, o “paciente de Berlim”, tornou-se a primeira pessoa curada do vírus da aids, três anos e meio depois de ter realizado tratamento semelhante.

O HIV é um vírus que ataca o sistema imunológico e pode trazer consequências significativas à saúde do infectado. Não existe cura. No entanto, a doença é tratada com uma combinação de medicamentos conhecidos como terapia antirretroviral, que reduz a quantidade de vírus no sangue.

“As nossas descobertas mostraram que o sucesso do transplante de células estaminais como cura para o HIV, relatado pela primeira vez há nove anos no paciente de Berlim, pode ser replicado”, afirmou Ravindra Gupta, principal autor do estudo.Segundo os autores da pesquisa, esse homem representa “um passo em direção a uma abordagem de tratamento menos intensiva”.

Ao contrário do que aconteceu com o “paciente de Berlim”, Castillejo foi submetido apenas a um transplante em vez de dois. Além disso, não fez radioterapia como parte do seu tratamento.

Apesar disso, os autores do estudo alertam para o uso amplo desse procedimento, dada a natureza invasiva do tratamento experimental.

“É importante observar que esse tratamento é de alto risco e usado apenas como último recurso para os pacientes com HIV que também têm neoplasias hematológicas, com risco de vida”, explicou o Gupta, acrescentando que “esse não é um tratamento que seria oferecido a pacientes com HIV que estejam em tratamento antirretroviral bem-sucedido”.

Como Castillejo ainda é apenas o segundo paciente a passar pelo tratamentoto experimental com sucesso, os autores alertam que ele precisará de um monitoramento contínuo, mas menos frequente, para o caso de reemergência do vírus.

Em entrevista ao The New York Times, Castillejo disse que decidiu revelar sua identidade “após anos de tratamentos difíceis e momentos de desespero.

“Esta é uma posição única para se chegar, posição única e muito humilhante”, disse Castillejo. “Quero ser um embaixador da esperança”, acrescentou.

Kat Smithson, diretora de Políticas do National AIDS Trust, cumprimentou o paciente por compartilhar a sua experiência, lembrando que existe um estigma em torno do HIV, que pode dificultar a procura de ajuda por parte de algumas pessoas.

“A história dele ajuda a aumentar a consciencialização necessária sobre o HIV, mas mais ampla do que isso, é uma história sobre a incrível resiliência, determinação e esperança", afirmou Smithson.

Secretaria de Saúde treina 80 profissionais para atuarem dentro do protocolo do Ministério de Saúde em caso de surto da doença (Foto: Divulgação PMBP)

Uma equipe do Departamento de Vigilância em Saúde de Barra do Piraí está em treinamento para um possível surto de Coronavírus na cidade, é o que informou a prefeitura nesta sexta-feira (06). A capacitação visa aplicar o protocolo de atendimentos recomendado pelo Ministério da Saúde. Cerca de 80 profissionais participam do curso.

No site do Ministério da Saúde, no final da segunda quinzena de janeiro, foi ativado o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o novo Coronavírus, estratégia prevista no Plano Nacional de Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde. Segundo o portal, o covid-19 é um vírus identificado como a causa de um surto de doença respiratória detectado pela primeira vez em Wuhan, China. Diante disso, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), as equipes de vigilância dos estados e municípios, bem como quaisquer serviços de saúde, devem ficar em alerta aos casos de pessoas com sintomatologia respiratória e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão.

Assim sendo, o protocolo de atendimento serve para “orientar a Rede de Serviços de Atenção à Saúde do SUS para atuação na identificação, notificação e manejo oportuno de casos suspeitos de Infecção Humana pelo Novo Coronavírus de modo a mitigar os riscos de transmissão sustentada no território nacional”.

Brasília O Ministério da Saúde informou em nota, na manhã desta quinta-feira, 5, que, em conjunto com as secretarias de Saúde de São Paulo (estadual e municipal), estuda uma infecção assintomática por Covid-19, o novo coronavírus, de uma adolescente de 13 anos. Ela retornou da Itália nesse domingo (1º). De acordo com a autarquia, "embora tenha confirmado a presença do vírus, um portador assintomático não cumpre a definição de caso". De acordo com critérios técnicos, para que uma pessoa seja considerada com a doença, ela deveria apresentar, além do resultado positivo, febre associada a um sintoma respiratório. "Portanto, esse [caso] não será somado aos casos confirmados do novo coronavírus", acrescentou a nota. As informações são da Agência Brasil.

Após apuração e publicação do Grupo RBP de Comunicação, Secretaria de Saúde confirma caso suspeito de paciente internado no Hospital da Unimed, dentro da Santa Casa (Foto: Reprodução Whatsapp)

Nessa quarta-feira (04), uma mensagem se espalhou através do whatsapp afirmando que haveria um caso suspeito de covid-19, o coronavírus, no hospital da Unimed, em Barra do Piraí. No aviso, o informante diz que as autoridades não farão alardes sobre o caso, porém que o suposto portador da doença estaria internado no hospital, com sintomas da doença, após ter viajado para Orlando, nos Estados Unidos.

Nossa reportagem entrou em contato com o diretor da Santa Casa de Barra do Piraí, Ivan Borges, que de antemão disse não haver nenhuma notificação oficial do hospital citado até está quarta, sobre um suposto caso e garantiu de que, se um dia houver uma suspeita em nossa cidade, tudo será divulgado da forma mais clara possível.

O coronavírus, pandemia que teve origem na China e vem se espalhando pelo mundo causando pânico nas pessoas, já tem casos que são investigados  na região Sul Fluminense, sendo o último divulgado pela secretaria de Saúde de Valença. Porém, é importante ressaltar que, para um caso ser considerado oficialmente suspeito, é preciso do aval do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu na cidade vizinha a Barra do Piraí.

Atualização – 05/03/2020 – 15h35

Saúde confirma caso suspeito

Um dia seguinte após a publicação desta matéria (05), a Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Piraí emitiu um comunicado confirmando um caso suspeito de um paciente, que neste momento está em isolamento no Hospital da Unimed, com sintomas do covid-19, o coronavírus, e com histórico de viagens para as áreas de risco.

Em nota, a Saúde disse estar cumprindo com o protocolo determinado pelo Ministério da Saúde e que o material biológico do paciente foi coletado e enviado para o Laboratório Central Noel Nutens (LACEN-J).

A recomendação para a população é que prossigam tendo os cuidados básicos de prevenção e contágio, como lavar bem as mãos com água e sabão ou, de preferência, com álcool em gel. Leia abaixo a nota completa.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!