Quinta, 22 Abril 2021
previous arrow
next arrow
Slider

Estudos científicos publicados em duas áreas da revista médica Lancet indicam que as pessoas infectadas com a variante do SARS-CoV-2 identificada no Reino Unido não contraem formas mais graves da covid-19. A informação é da Agência Brasil.

Os estudos foram feitos por observação, analisando a situação de pessoas infectadas com a variante designada como B.1.1.7, em um hospital de Londres, no Reino Unido, e por meio do que cerca de 37 mil pessoas infectadas declararam num trabalho britânico de acompanhamento de sintomas.

Em artigo publicado no boletim The Lancet Infectious Diseases, foram analisados 341 doentes admitidos no hospital do University College e no hospital da Universidade de North Middlessex em novembro e dezembro passado. A conclusão foi que os infectados com a variante não ficaram doentes com maior gravidade, mas a carga viral foi superior.

“Não se detectou prova de uma associação entre a variante e doença mais grave, com 36% dos doentes com a B.1.1.7. a ficarem gravemente doentes e a morrerem, quando comparado com os 38% dos que tinham uma variante diferente”, concluíram os pesquisadores, que reconhecem a necessidade de investigação mais aprofundada.

Em outro estudo, divulgado na publicação The Lancet Public Health, analisaram-se dados submetidos à aplicação Covid Symptom Study entre setembro e dezembro de 2020, que foram cruzados com as análises genéticas regionais conduzidas pelas autoridades de saúde britânicas destinadas a detectar a presença de variantes.

“A análise revelou que não há associações estatisticamente significativas entre a proporção da B.1.1.7. entre regiões e os tipos de sintomas que as pessoas tiveram”, concluíram os pesquisadores.

Além disso, a proporção de pessoas que tiveram casos prolongados de covid-19, com sintomas persistentes, não foi alterada pela presença da variante.

No entanto, os autores concluíram que o índice de transmissibilidade (Rt) é 1,35 vez superior na variante B.1.1.7.

A pesquisadora Britta Jewel, do Imperial College, comentou que o estudo contribui para o consenso de que a B.1.1.7. aumenta a transmissibilidade, o que levou, em grande parte, ao aumento exponencial de casos no Reino Unido e em outros países europeus.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS), enviou hoje (09) aos 92 municípios do estado um ofício reforçando a importância do cadastro no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) das vacinas contra Covid-19 já aplicadas. Desde 19 de janeiro, o estado distribuiu 4.409.220 doses de vacinas, mas apenas 41,9% dessas doses foram informadas como aplicadas ao Ministério da Saúde.

  • Os municípios precisam informar a quantidade de doses aplicadas com a maior celeridade possível. Essas informações são fundamentais para realizarmos o planejamento de distribuição – esclarece o secretário de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

A partir do ofício, a SVS estabelece um cronograma de metas para que as secretarias municipais de saúde realizem a inserção de 80% a 100% dos dados da vacinação. Os municípios com menos de 30% de informação cadastrada são considerados críticos e terão sete dias úteis para comunicar a aplicação da primeira dose e 14 dias úteis para o cadastro da segunda. As cidades que estão com 30% a 60% de cadastro já realizado terão cinco dias úteis para lançar a informação da primeira dose e dez dias úteis para a segunda. Já as secretarias municipais de saúde que têm entre 60% e 75% dos seus dados registrados no sistema terão três dias úteis para a atualização da primeira dose e seis dias úteis para informar a segunda.

  • A atualização dos dados será encaminhada, findando o prazo, para os órgãos de controle, Ministério Público e Defensoria Pública – afirma o secretário.

O documento reforça a importância de os municípios manterem a uniformidade na vacinação, uma vez que as doses de vacina ainda estão chegando de forma gradativa e sem regularidade de volume.

Informar com celeridade os dados da vacinação também pode ajudar a corrigir possíveis distorções nas bases de dados populacionais usadas pelo Ministério da Saúde para calcular o quantitativo de doses enviadas ao estado para atender cada grupo prioritário elencado no PNI. A SVS destaca que esses números podem estar defasados.

  • Diante da diferença entre o número de doses enviadas e as cadastradas no SI-PNI, poderíamos concluir que os municípios não estão conseguindo utilizar todas as doses enviadas para imunizar a população. Porém, nossa proposta é para que eles se organizem e consigam lançar as informações com a máxima urgência que o caso requer. Isto vai nos ajudar a identificar quais cidades ainda não conseguiram finalizar alguns grupos prioritários – conclui o superintendente de Vigilância Epidemiológica da SES, Mário Sérgio Ribeiro.

Vacinas enviadas - Nesta sexta-feira (09), foi realizada a 12ª entrega de vacinas contra Covid-19 aos 92 municípios do estado. Foram distribuídas 431.500 doses, sendo 195 mil de CoronaVac e 236.500 de Oxford/Astrazeneca. Até o momento, o Estado já enviou 4.409.220 doses de vacina contra Covid-19 aos 92 municípios do estado.

Vacinas aplicadas - Até as 9h desta sexta-feira (09.04), o estado registrava 1.523.538 de pessoas vacinadas com a primeira dose e 433.198 com a segunda. O vacinômetro pode ser acessado pelo site: https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/

Liberação de vacina - As vacinas contra Covid-19 do laboratório Oxford/Astrazeneca serão liberadas de forma mais rápida ao Estado do Rio de Janeiro. A partir da solicitação do Governo do Estado, a próxima remessa dos imunizantes produzidos na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ficará diretamente na capital para serem distribuídas aos 92 municípios. O pedido foi aceito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante encontro com o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves, nesta quinta-feira (08). Com essa decisão, os lotes destinados ao Rio de Janeiro não precisarão mais passar pelo Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, em São Paulo.

Entrega ‘Kit intubação’ - Nesta sexta-feira (09), a SES realizou uma nova entrega de medicamentos componentes do chamado “kit intubação” aos municípios e unidades de saúde de todo o estado que atendem pacientes em tratamento de Covid-19. Entre os itens distribuídos, estão: atracúrio, propofol e morfina, medicações fundamentais para o tratamento de pacientes internados em estado grave em UTI. Em reunião com o Ministério Público Federal, Ministério Público do Estado do Rio e Defensoria Pública do Estado e da União, a SES informou que está entregando todo o estoque de medicação do “kit intubação” aos municípios e hospitais. De acordo com o Ministério da Saúde, uma nova remessa chega ao Rio nesta sexta-feira e será imediatamente distribuída pela SES.

A 25ª edição do Mapa de Risco da Covid-19 mostra que a situação da pandemia se encontra em risco muito alto (roxo) no Estado do Rio de Janeiro. As regiões do Médio Paraíba, Centro-Sul, Norte, Baixada Litorânea saem da bandeira roxa para a vermelha, o que aponta para uma melhora nos parâmetros epidemiológicos. As regiões da Baía da Ilha Grande, Noroeste e Metropolitana II seguem com bandeira vermelha (risco alto). Já as regiões Serrana e Metropolitana I estão classificadas com bandeira roxa (risco muito alto. A análise compara a semana epidemiológica 12 (21 a 27 de março) com a 10 (7 a 13 março) de 2021.

O estado apresentou aumento de 44% no número de óbitos e de 7% nos casos de internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) na comparação do período analisado. As taxas de ocupação de leitos SUS no estado, nesta sexta-feira (09), estão em 90% para leitos de UTI e em 75% para leitos de enfermaria.

Cada bandeira representa um nível de risco: roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

Distribuição de vacinas – A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizou nesta sexta-feira (09.04) a 12ª entrega de vacinas contra Covid-19 aos 92 municípios do estado. Foram distribuídas 431.500 doses, sendo 195.400 de CoronaVac e 236.500 de Oxford/Astrazeneca.

Kit intubação - Nesta sexta-feira (09), a SES realizou uma nova entrega de medicamentos do chamado “kit intubação” a 74 unidades de saúde de todo o estado que atendem pacientes em tratamento de Covid-19. Entre os itens distribuídos, estão: atracúrio, propofol e morfina, medicações fundamentais para o tratamento de pacientes internados em estado grave em UTI. Em reunião com o Ministério Público Federal, Ministério Público do Estado do Rio e Defensoria Pública do Estado e da União, a SES informou que está entregando todo o estoque de medicação do “kit intubação” aos municípios e hospitais.

Mais 2460 doses chegaram na cidade nesta sexta-feira, 09, e serão utilizadas para vacinação de idosos com 66 anos ou mais na próxima semana (Foto: PMBP)

Barra do Piraí recebeu na manhã desta sexta-feira (09) mais 2460 doses da Coronavac para dar continuidade a vacinação à idosos e trabalhadores da Saúde. Com isso, houve ampliação da taxa de vacinação no Posto Albert Sabin: a partir de segunda, 12, e terça, 13, para acima de 67 anos; e de quarta a sexta, 14 a 16, acima dos 66.

“Com as vindas dessas doses vamos traçar novas estratégias e planos de imunizações para combater a covid-19. Temos duas frentes de trabalho, um sendo o combate ao vírus por meio da vacinação, e o outro traçando estratégias pelos protocolos de distanciamento social e flexibilização", disse o secretário da pasta, Wagner Teixeira.

A campanha de vacinação está sendo realizada principalmente no Posto Albert Sabin, no bairro Nossa Senhora de Santana, e nas Unidades Básica de Saúde dos bairros, de acordo com a divulgação nas redes sociais da Prefeitura de Barra do Piraí.

Segundo o comunicado da secretaria de Comunicação, prefeito de Barra do Piraí, Mario Esteves, está em Brasília em busca de mais recursos para o combate à pandemia.

Além da vacinação no Posto Albert Sabin, na semana que vem terá campanha nas Unidades Básicas de Saúde dos distritos de Dorândia, na segunda, 12, em Vargem Alegre, na terça, 13, e em Ipiabas, na quarta, 14. Em todos os dias, idosos de 65 anos ou mais serão vacinados mediante apresentação de documento de identidade com foto e comprovante de residência nos distritos.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!