Sexta, 10 Julho 2020
previous arrow
next arrow
Slider

A primeira morte por covid-19 na Colômbia aconteceu em meados de fevereiro, mais de uma semana antes de o país andino registrar oficialmente seu primeiro caso da doença, anunciou a agência de estatísticas do governo ontem. A informação é da Agência Brasil.

O país relatou o primeiro caso da doença no dia 6 de março, e o que pensava ser sua primeira morte - a de um taxista de 58 anos na cidade de Cartagena - no dia 21 de março.

Dados referentes ao número de mortos, apresentados pelo Departamento Administrativo Nacional de Estatística (Dane), mostram no entanto que a primeira morte de pessoa com suspeita de covid-19 ocorreu no dia 15 de fevereiro, enquanto a primeira morte confirmada aconteceu no dia 26 do mesmo mês.

O país registrou 30 mortes confirmadas pela covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, e 94 mortes suspeitas no primeiro trimestre, acrescentou o Dane.

Cerca de 40% das mortes por covid-19 no trimestre foram registradas na capital Bogotá, enquanto as províncias de Valle del Cauca e Bolívar apresentaram 23% e 10% dos óbitos, respectivamente.

A província de Antioquia, onde fica a segunda maior cidade do país, Medellín, notificou cerca de 59% das mortes de pessoas com suspeita da doença, segundo o departamento.

Moradores de diversas regiões da grande Lisboa terão de voltar para dentro de casa a partir da semana que vem, enquanto autoridades portuguesas lidam com uma preocupante onda do novo coronavírus nas periferias da cidade, anunciou o governo ontem, de acordo com a Agência Brasil.

Pessoas que vivem em áreas afetadas da capital - que representam um total de 19 regiões que não incluem o centro de Lisboa - poderão deixar suas casas apenas para comprar produtos essenciais, como alimentos e medicamentos, e para se deslocarem ao trabalho.

"A única forma eficiente de controlar a pandemia é ficar em casa sempre que possível, manter o distanciamento social a todo tempo e manter os padrões de proteção e higiene", disse o primeiro-ministro, Antonio Costa, a jornalistas.

A medida estará em vigor de 1º a 14 de julho, quando será revisada, de acordo com documento do governo.

Nas 19 áreas definidas, haverá limite de até cinco pessoas para reuniões, de dez na grande Lisboa e de 20 no resto do país.

O anúncio é feito depois de o governo estabelecer restrições na terça-feira (23), que incluíram uma ordem para que a maioria dos espaços comerciais da região metropolitana da capital, excluindo os restaurantes, seja fechada às 20h todos os dias.

Com 40.415 casos de infecções e 1.549 mortes pelo novo coronavírus, Portugal é considerado caso de sucesso na luta contra doença. O país começou a suspender as medidas de lockdown em 4 de maio.

Sistema que criou polêmica durante vacinação contra a gripe comum volta a ser utilizado para testagem, neste final de semana. Serão 300 amostragens por dia, das 9h às 14h, na Praça Nilo Peçanha, sábado e domingo, com uma pessoa apenas vacinada por veículo (Foto: Reprodução)

A prefeitura de Barra do Piraí anunciou que realizará neste final de semana testagens para diagnosticar pessoas com a Covid-19. Segundo o governo municipal, serão 300 amostragens por dia, no sábado (27) e domingo (28), das 9h às 14h, na Praça Nilo Peçanha, no Centro. Os testes acontecerão em forma de Drive Thru, por apenas uma pessoa por veículo, respeitando as regras de distanciamento social.

Ainda de acordo com a prefeitura, qualquer um pode fazer a amostragem, porém terão que cumprir um período de dois dias em casa, após o teste. O uso de máscara também é obrigatório. De acordo com nota divulgada, o objetivo da ação é acelerar o monitoramento da disseminação do vírus e traçar novas estratégias de saúde pública no combate à pandemia.

Sistema Drive Thru

Por conta das regras de distanciamento, a prefeitura usará mais uma vez a estratégia dos veículos para realizar a testagem, semelhante a que foi usada na vacinação contra a gripe comum. Porém, esse método foi bastante criticado pela prefeitura por conta dos longos engarrafamentos causados no Centro da cidade, pela lentidão no atendimento e pela confusão causada, com relatos de pessoas que não conseguiram receber a vacina.

O Ministério da Saúde anunciou novos critérios para a caracterização dos casos de covid-19, indo além dos exames laboratoriais já adotados, segundo informações da Agência Brasil. Agora serão diagnosticados como infectados com o novo coronavírus também quem se enquadrar nas seguintes situações:

– Paciente com síndrome gripal (SG) ou síndrome respiratória aguda grave (SRAG) com contato próximo ou domiciliar com alguém confirmado com teste laboratorial;

– Casos ou mortes por SG e SRAG que não houve confirmação ou descarte da possibilidade de infecção por teste laboratorial e que tenham determinadas alterações mostradas nas tomografias;

  • Pessoas com SG ou SRAG associados à perda de gosto ou olfato sem que estes sintomas tenham outra causa pregressa;

– Pessoas assintomáticas que tenham tido teste laboratorial positivo ou exame imunológico pelo método ELISA ou detecção de anticorpos.

De acordo com a equipe do ministério, esses novos critérios vão facilitar o diagnóstico e as consequentes medidas de prevenção e mitigação da transmissão do vírus sem a necessidade da testagem.

“Eu tenho parâmetro clínico para confirmar. Não é excludente com exames. É um somatório de coisas que ajudam o manejo clínico laboratorial do paciente com síndrome gripal com perspectiva da covid-19”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros.

O Ministério da Saúde relançou o programa de testagem batizado de Diagnosticar para Cuidar. A iniciativa havia sido anunciada pelo órgão em maio, quando ainda havia dificuldade para adquirir insumos para os testes.

A meta de exames continua na casa dos 46 milhões de unidades, estimando cobrir 22% da população brasileira. Destes, 24,5 milhões devem ser na modalidade laboratorial (chamada tecnicamente de RT-PCR). Esta tem como finalidade realizar o diagnóstico e é aplicada em pacientes até oito dias após a manifestação dos primeiros sintomas.

Até o momento, 11,5 milhões de kits deste exame já foram recebidos pelo órgão. Destes, 3,8 milhões foram distribuídos aos laboratórios definidos para analisar as amostras. Até o momento, 860 mil testes foram realizados. O secretário de Vigilância em Saúde justificou a diferença entre as unidades recebidas pelo Ministério da Saúde e as efetivamente executadas pelas dificuldades de abastecimento dos insumos.

“Tivemos alguns problemas ao longo do programa, inclusive de oferta de insumos. Houve época que não tínhamos disponibilidade de tubos por conta do próprio processo da demanda mundial com relação a isso. Havia outra questão que era capacitação tecnológica dos laboratórios em fazer a testagem molecular. Fomos vencendo etapas e hoje temos condições de avançarmos nesta testagem para nossa população”, declarou.

Da meta de 46,5 milhões de testes do programa do ministério, 22 milhões serão no formato sorológico, também conhecidos como testes rápidos. Estes têm finalidade de auxiliar na vigilância em saúde e captam os anticorpos no paciente a partir do oitavo dia da manifestação dos sintomas. De acordo com o Ministério da Saúde, até o momento foram distribuídas 10 milhões de unidades, com 1,5 milhão já processadas.

O intuito da equipe do Ministério da Saúde é que o programa de testagem auxilie a estratégia de identificação de casos neste contexto de interiorização da pandemia.

“Na perspectiva de que nas últimas semanas a gente via que a doença caminhava para o interior, existe uma população brasileira que está nos municípios que precisa ser assistida e diagnosticada nesta fase em que temos quantitativo pequeno de número de casos podemos cuidar fazendo este diagnóstico”, disse Medeiros.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!