Domingo, 16 Dezembro 2018
previous arrow
next arrow
Slider

O grupo Carrossel organiza a partir da próxima sexta-feira, dia 30 de novembro, a sua tradicional feira de livros adultos e infantis, na Praça Nilo Peçanha, no Centro de Barra do Piraí. O material estará à disposição da população barrense todos os dias, incluindo fins de semana, das 9h às 18h30, até o dia 29 de dezembro. De acordo com os coordenadores Jadson e Luana Lima, o objetivo da campanha é disseminar a cultura da leitura durante o Natal, incentivando todos a presentearem seus parentes e amigos com um livro.

Desde 2012 que a Carrossel Feira de Livros é realizada em toda região sul-fluminense, sempre com foco nas férias escolares, em julho e dezembro. Em Barra do Piraí, ele conta com o apoio da prefeitura municipal que sede o espaço gratuitamente para a exposição dos livros, que são vendidos, em média, com 70% de desconto e valores que variam entre R$5,00 a R$25,00.

A Banda União dos Artistas realizará no próximo dia 27, terça-feira, uma apresentação especial de fim de ano na Esquina do Pecado, na Praça Júlio Braga, Centro de Barra do Piraí. O concerto será gratuito e acontecerá as 20h.

De acordo com a maestrina Rubia Joras, a União dos Artistas é uma instituição sem fins lucrativos, com todos os músicos voluntários e amadores. A instituição oferece aulas de música gratuitamente para aqueles que querem fazer parte do grupo. Todas as apresentações da banda são gratuitas e realizadas em praças públicas ou eventos em que são convidados.

Fundada em 10 de janeiro de 1901, a banda é considerada patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio de Janeiro.

O governador Luiz Fernando Pezão assinou nesta quarta-feira (21/11), no Palácio Guanabara, a prorrogação do contrato de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que permite a retomada das obras da nova sede do Museu da Imagem e do Som, na Praia de Copacabana."Estou muito feliz por poder recuperar esse contrato, que vai fazer com a gente retome as obras do MIS, na Avenida Atlântica. Conseguimos readquirir a credibilidade junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento e deixaremos recursos para que o próximo governo conclua o projeto", disse Pezão.

No dia 22 de agosto, a Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), órgão do Ministério do Planejamento, aprovou a prorrogação do prazo do acordo de empréstimo do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo no Estado do Rio de Janeiro (Prodetur-RJ), o que permitirá a retomada das obras, suspensas desde setembro de 2016. A aprovação era necessária por se tratar de uma operação que envolve um projeto financiado por empréstimo concedido por organismo internacional. Os recursos para a construção do novo prédio do MIS estão previstos no âmbito do Prodetur-RJ, que é financiado pelo BID.

Após a renovação do contrato, com a respectiva publicação no Diário Oficial, e o BID dando a “não objeção” ao edital, o Governo do Estado lançará o edital de licitação para que uma empresa possa executar a terceira e última etapa (acabamentos e instalações). Paralelamente, o edital será encaminhado ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), cuja análise e aprovação deverá ocorrer dentro do prazo dos 30 dias, caso não haja nenhuma alteração a ser formulada pelo conselheiro responsável pela análise. Com isso, a previsão é de que em 60 dias a empresa contratada inicie os trabalhos. A partir desta data, serão necessários 12 meses para a realização das obras físicas e mais seis meses para implantação da museografia e sua abertura ao público.

Cerca de 70% das obras do MIS já foram executadas. Para a conclusão total das obras, os recursos estão orçados em cerca de R$ 42 milhões. Quando o prédio ficar pronto, serão investidos mais R$ 82 milhões em museografia (a maior parte desse valor já foi investido), conteúdo, suportes, equipamentos, direitos autorais, acessibilidade, ações educativas, de comunicação e sinalização.

Grande complexidade, material importado, projeto internacional

Com 9,8 mil metros quadrados de área, divididos em oito pavimentos, a nova sede do MIS foi concebida pelo escritório americano Diller Scofidio + Renfro para ser um boulevard vertical. Seu percurso narrativo foi construído com base na ideia da rua como local de entretenimento e como símbolo da criação popular, que representa grande parte da produção artística da cidade. O objetivo é conduzir o visitante para um passeio pelo acervo da instituição, pela cidade e pelo tempo. Os arquitetos buscaram inspiração nas curvas do calçadão de Copacabana – o mesmo passeio que inspirou a curadoria – e desenharam um prédio capaz de dialogar com a paisagem, democratizar a vista da praia e ser um novo ícone arquitetônico para a cidade. Eles "dobraram" a calçada, transformando o prédio em um grande boulevard vertical.

O cuidado e a preocupação com o meio ambiente permeiam todas as fases do projeto, desde a demolição do prédio que ocupava originalmente o terreno onde está sendo construída a nova sede do Museu, na Avenida Atlântica. A demolição foi feita de forma seletiva e teve um índice de reciclagem e reaproveitamento de 99,81% dos materiais. O projeto busca a certificação Leed (Liderança em Energia e Projeto Ambiental, em português), concedida pelo Green Building Council.

O que é o MIS?

É um museu que celebra e conta a história da cultura brasileira de um ponto de vista carioca. É um museu vivo onde a produção cultural contemporânea é, o tempo todo, incorporada ao acervo. O MIS iniciou suas atividades em 1965, basicamente como um centro de documentação. Atualmente, o acervo do MIS conta com 30 coleções particulares com fotos, discos, filmes , vídeos, instrumentos e documentos, e coleções. abrangentes, como a da Rádio Nacional (com programas, roteiros, fotos, etc) . Além disso, o MIS produz, desde 1966, sua própria coleção, com destaque para os Depoimentos para a Posteridade, registros de história oral a partir de gravações com personalidades importantes da cultura brasileira.

A ideia da nova sede do MIS, em Copacabana, surgiu em 2008. O objetivo é revitalizar o museu e dar um novo tratamento a esse imenso acervo, a partir de uma linguagem museográfica contemporânea. Atualmente, o MIS ocupa dois endereços: o prédio original do Museu, na Praça XV; e outro edifício, na Lapa.

A Justiça de Brasília decretou na última segunda-feira (19) que Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo, não receberá a indenização por danos morais que moveu contra a tia, Carmen Teresa Manfredini, por ela ter escrito uma carta em abril deste ano relatando a preocupação da família com o futuro do espólio do ícone da música brasileira. A indignação de Carmem era porque Giuliano organizou um bazar beneficente com objetos que pertenciam a Renato Russo. Na ação, o filho do cantor alegou que a carta causou danos à sua imagem e reiterou que a família paterna não teria dado devido cuidado ao acervo e à empresa Legião Urbana Produções Artísticas.

A informação é do portal UOL.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!