Quinta, 27 Junho 2019
previous arrow
next arrow
Slider

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE) organizou hoje pela manhã (15) um grande “aulão” na Praça Nilo Peçanha, ministrado pela professora Denise, servidora pública especialista em Previdência Social, com o objetivo de protestar em favor dos professores, contra os últimos cortes feitos pelo Governo Federal em pesquisas científicas e na área da educação, e contra também a possível aprovação da nova reforma da previdência.

Com o objetivo de alertar a todos sobre a importância da previdência, o ato marcou o inicio de um movimento nacional, organizado pelas centrais sindicais de cada estado e cidade, que terá seu auge no próximo dia 14 de junho, quando uma grande greve geral será realizada em todo o país.

Um dos diretores do SEPE de Barra do Piraí, o professor estadual Marcelo Klein, deu uma entrevista para a reportagem do Grupo RBP de Comunicação ressaltando a importância do ato para os professores estaduais de Barra do Piraí e região. “Esse momento marca o início de um grande movimento. Somos contra a aprovação da nova reforma da previdência e acreditamos que a população em geral sairá prejudicada. O aulão de hoje serve para elucidar várias questões que a envolvem”, declarou.

Os atos foram realizados em cinco cidades em nossa região Sul Fluminense: Barra do Piraí, Volta Redonda, Itatiaia, Barra Mansa e Resende.

protesto2

Diretoria do SEPE de Barra do Piraí, responsável por organizar o aulão na Praça Nilo Peçanha (Foto: Felipe Castro)

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE) organiza para a próxima quarta-feira (15) atos em favor dos professores, em protesto contra os últimos cortes feitos pelo Governo Federal em pesquisas científicas e na área da educação, e contra também a possível aprovação da nova reforma da previdência, considerada pelo grupo injusta, principalmente com quem recebe um salário mínimo.

Os atos serão realizados em cinco cidades em nossa região Sul Fluminense: em Barra do Piraí, uma aula pública será organizada a partir das 10h, na Praça Nilo Peçanha, Centro. Além desse ato, em Volta Redonda, Itatiaia, Barra Mansa e Resende também terão protestos organizados pela categoria.

Segundo o diretor do SEPE em Barra do Piraí, Marcelo Klein, a paralisação não é só regional, ela faz parte de uma greve geral nacional organizada pelas centrais sindicais, em conjunto com os sindicatos de cada estado. Os atos marcam o início de uma preparação para a greve geral dos professores, marcada em todo o país para o próximo dia 14 de junho.

Maioria das escolas municipais de Barra do Piraí vai abrir nesta quarta

Das 41 escolas da Rede Municipal de Ensino de Barra do Piraí, apenas oito estarão fechadas nesta quarta (15) por conta da Greve Geral da Educação. De acordo com informações da Secretaria de Educação, as unidades de ensino que estarão paralisadas por conta do evento vão repor os dias perdido nos sábados letivos. As demais, como narrou a secretária, Glória Guimarães, terão aula normal.

Segundo a pasta, os alunos das escolas que vão aderir à paralisão já foram comunicados e a secretaria de Educação preferiu não divulgar externamente quais serão essas unidades de ensino.

Quem ainda não se inscreveu para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 tem a até a próxima sexta-feira (17) para fazer a inscrição pela internet. No dia 17 também encerra o prazo para solicitar atendimento especializado e específico e para alterar dados cadastrais, município de provas e opção de língua estrangeira.

A taxa de inscrição para o Enem é de R$ 85. Quem não tem isenção de taxa deve fazer o pagamento até o dia 23 de maio. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 e 24 de maio. As provas do Enem serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem, por exemplo, para se inscrever em programas de acesso à educação superior como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) ou de financiamento estudantil.

A prova também pode ser feita pelos estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019, mas nesse caso os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de concorrer a vagas ou a bolsas de estudo.

Foto: Agência Brasil

Os recentes acidentes em símbolos culturais, como o incêndio que atingiu o Museu Nacional, em setembro do ano passado, despertaram a preocupação do Governo do Estado para eventuais tragédias que possam a vir danificar o patrimônio cultural do Rio de Janeiro. Com o objetivo de evitá-las, a Controladoria Geral do Estado (CGE) iniciou uma auditoria de avaliação da gestão dos equipamentos estaduais, com foco na prevenção de sinistros – inundações, incêndios, problemas estruturais, entre outros, além de furtos.

As vistorias têm como objetivo avaliar o trabalho de conservação do patrimônio e sugerir melhorias. Entre os espaços visitados, está o Theatro Municipal, um dos mais icônicos teatros brasileiros, com quase 110 anos de existência. “A CGE está atuando de forma proativa, visando melhorar a gestão, reduzir custos e identificar os riscos de prejuízos ao patrimônio público. Esse trabalho, pioneiro na área de controle interno estadual, é de importância ímpar para a preservação no nosso patrimônio cultural”, ressaltou o controlador-geral do Estado, Bernardo Barbosa.

A superintendente de Cultura, Educação, Ciência e Tecnologia e Esporte da CGE, Gina Aires, explicou que o trabalho, iniciado em março, vai ser realizado nos principais equipamentos culturais do Estado. “Já estivemos na Casa França-Brasil, Museu Carmem Miranda, Casa de Cultura Laura Alvim, Biblioteca Parque Estadual e Escola de Música Villa-Lobos. Temos um check-list, no qual analisamos diversos aspectos, como as condições dos extintores e mangueiras de incêndio, o sistema de câmeras, a existência de alarmes, etc. Além disso, o correto acondicionamento do acervo histórico também é avaliado para que o patrimônio cultural do Rio de Janeiro não seja perdido em um eventual sinistro”, contou.

Um dos destaques da vistoria no Theatro Municipal foi a checagem do sistema de ignificação em cadeiras, cortinas, tapetes e estofados. O consiste na utilização de produtos que retardam a ação do fogo. Outro ponto observado foi o tempo-resposta dos brigadistas do espaço durante uma simulação de um sinistro. Ao final do trabalho, a CGE emitirá um relatório informando a situação de risco de cada unidade ao secretário de cultura, que apontará os principais problemas e as recomendações. A previsão para que documento seja finalizado é até o fim do primeiro semestre de 2019.

Parque Lage e Sala Cecília Meireles serão vistoriados

As visitam devem ser concluídas ainda em maio, com vistorias agendas ao Parque Lage, no Jardim Botânico, e à Sala Cecília Meireles, no Centro do Rio. Para a chefe do Centro de Documentação do Theatro Municipal, Fátima Gonçalves, o trabalho é de suma importância para a cultura fluminense.

“Esta iniciativa mostra que não estamos sozinhos, pois é imprescindível que todos nós cuidemos do patrimônio público. O trabalho preventivo que fazemos é diário e é importante que o Estado esteja conosco para evitar possíveis danos aos nossos acervos, que são ricos e cheios de história. Isso pertence ao povo do Rio de Janeiro”, disse Fátima.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!