Domingo, 16 Dezembro 2018
previous arrow
next arrow
Slider

O Dia da Consciência Negra é comemorado no dia 20 de novembro em todo território nacional. Esta data, estabelecida pelo projeto Lei n.º 10.639, sancionada Lei em 2011 pela presidente Dilma Rousseff, foi escolhida por ter sido o dia da morte do líder negro "Zumbi", que lutou contra a escravidão no Brasil. A celebração relembra a importância de refletir sobre a posição dos negros na sociedade. Afinal, as gerações que sucederam a época de escravidão sofreram diversos níveis de preconceito.

Em Barra do Piraí, o Projeto Cultural Beleza Negra organizará atividades durante esse mês com o objetivo de resgatar e divulgar a cultura afro, tão descriminada pelo desconhecimento.

No próximo dia 11, das 10h às 19h, será realizada no ginásio do Barra Tênis Clube uma resenha cultural, com rodas de conversas, muita informação, teatro, dança, capoeira, jongo, rap e hip-hop.

No feriado do dia 20, a partir das 12h, também no BTC, será realizado o grande desfile da Beleza Negra, onde serão escolhidos a Miss e o Mister Beleza Negra de 2018. O evento contará com feijoada, ações sociais, entre outras atrações, com um kg de alimento não perecível como entrada.

O Palácio das Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, abre suas portas para o público a partir deste sábado, dia 10 de novembro. O programa ‘Palácio das Laranjeiras de Portas Abertas’ acontecerá aos sábados, em dois grupos: às 9h e às 11h. Os visitantes serão guiados pelos alunos do curso Técnico em Guia de Turismo do Senac RJ, parceiro do governo do Estado no projeto, vivenciando na prática as competências desenvolvidas em sala de aula.

O programa será realizado até o dia 15 de dezembro, portanto as vagas são limitadas a um total de 200 visitantes. Importante ressaltar que a inscrição para a visita guiada será feita exclusivamente por ordem de recebimento do e-mail.

O agendamento deverá ser feito através do email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Os interessados devem informar a data e o horário (sujeitos à disponibilidade) junto com nome completo, número de documento de identidade com foto e telefone para contato. As mesmas informações serão necessárias para os acompanhantes.

Oficina de Restauro e de inclusão social
O planejamento para a execução do programa ‘Palácio das Laranjeiras de Portas Abertas’ surgiu logo após a conclusão das primeiras turmas da Oficina de Restauro de mobiliários e elementos pétreos, promovida pelo RioSolidario, obra social do Rio de Janeiro, em parceria com o Senac e o Sebrae. "Idealizamos esse programa de visitação pública ao Palácio das Laranjeiras, após sua restauração, para que as pessoas tivessem a oportunidade de conhecer um pouco mais da história do Rio de Janeiro e também do País. É uma viagem cultural e histórica ao passado", disse a primeira-dama e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim,

Simbolismo político
O Palácio das Laranjeiras é um Palácio que conta a história do país e do estado, através de anos de utilização pelos presidentes da República e por Governadores, que receberam autoridades brasileiras e estrangeiras. Após a venda, em 1947, pela família de Eduardo Guinle ao governo brasileiro, o Palácio foi utilizado para receber os presidentes estrangeiros em visita ao Brasil. Com a morte de Getúlio Vargas no Catete, em 1954, o presidente eleito Juscelino Kubistchek resolveu usar o Laranjeiras como residência oficial. Assim o palácio tornou-se o epicentro da política nacional, até que em 1975 o Presidente Marechal Ernesto Geisel passou o Palácio das Laranjeiras para o governo do recém criado Estado do Rio de Janeiro e este continuou a sua trajetória, a partir de daí, como residência oficial dos governadores do estado.

Ambientes internos
Visitantes vão conhecer os vários ambientes internos como toda a área social, que inclui o hall de entrada, o grande salão de visitas - chamado Salão Luis XIV, o fumoir, a Sala de Música com o famoso piano inspirado no cravo de Maria Antonieta, o Salão de Jantar; e no pavimento superior, a biblioteca que abriga o Bureau do Roi, réplica do original de Versalhes; o Salão Império e a Galeria Regência. A grande novidade vai ser a abertura ao público de ambientes de serviço e íntimos. O visitante poderá finalmente conhecer a Sala de Almoço, a Copa, o Boudoir, o Quarto do Casal, o Quarto das Crianças e o belíssimo banheiro de mármore. Esses locais, até então, ainda não haviam sido abertos à visitação pública.

 Serviço:

‘Palácio das Laranjeiras de Portas Abertas’

Dias para visitação:

Novembro: dias 10 e 24
Dezembro: dias 01, 08 e 15
Horários: 9h e 11h

Obs.: Em cada horário serão disponibilizadas 20 vagas.

Agendamento obrigatório para visitação: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Informações necessárias: nome completo, CPF, número de documento de identidade com foto e telefone para contato. Pode ser informada também uma das 5 datas e horários disponíveis, sendo que o agendamento vai depender da confirmação, via e-mail.

O governador Luiz Fernando Pezão assinou, nesta segunda-feira (5/11), o tombamento do Cais do Valongo, patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio de Janeiro, durante a abertura da exposição "Cartografia da Africanidade Fluminense", na Casa França-Brasil. O Sítio Arqueológico Cais do Valongo, na Região Portuária do Rio, se tornou patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio de Janeiro em outubro de 2017, após lei sancionada pelo governador e publicada no Diário Oficial do Estado. Pezão acredita que o tombamento pode facilitar a captação de recursos para a manutenção do patrimônio.

"Essa é uma conquista extraordinária para o nosso estado, nosso país. Vemos patrimônios se perdendo e eu fico muito feliz em poder valorizar um espaço nobre, uma área espetacular. O Cais do Valongo já tem o tombamento mundial pela Unesco, nada mais natural que a gente fizesse também aqui", afirmou o governador.

O Cais foi o principal porto de entrada de escravos no Brasil na primeira metade do século XIX. Estima-se que desembarcaram ali mais de 500 mil africanos. Em 1843, o lugar foi remodelado para receber a noiva do imperador, Teresa Cristina de Bourbon, e passou a se chamar Cais da Imperatriz.

Com as reformas urbanísticas da cidade do início do século passado, a área foi aterrada, sendo descoberta durante as escavações das obras de revitalização da Região Portuária. Em junho, o local foi declarado pela Unesco patrimônio histórico da Humanidade. "Hoje é um dia de festa, dia de muita alegria para a cultura do nosso estado", disse o secretário de Cultura, Leonardo Monteiro.

Para o presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, Marcus Monteiro, o tombamento é um legado para a população do estado. "Podemos dizer que o Rio de Janeiro está fazendo história não só com a exposição "Cartografia da Africanidade Fluminense", mas também pelo primeiro patrimônio imaterial do estado ser o Cais do Valongo", ressaltou.

Na mostra, o público poderá conferir um lote de 500 raridades, feitas entre os séculos XVI e XIX. Entre elas, estão as litogravuras de Victor Frond, Debret, cerâmicas e gravuras de Rugendas, alguns dos destaques da exposição.

JACARTA O Comitê Nacional de Transportes da Indonésia (KNKT) informou nesta segunda-feira (5) que o velocímetro estava danificado nos últimos quatro voos do Boeing 737 MAX que caiu na semana passada, matando as 189 pessoas a bordo. O problema foi revelado após a análise da caixa-preta da aeronave, disse o chefe da KNKT, Soerjanto Tjahjono a repórteres, acrescentando que perguntou à Boeing e a autoridades dos EUA quais ações podem ser tomadas para prevenir problemas similares nesse tipo de avião ao redor do mundo.

A informação é do portal UOL.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!