Quinta, 22 Abril 2021
previous arrow
next arrow
Slider

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros vão realizar uma força-tarefa para evitar aglomerações e garantir a segurança na final da Libertadores 2020, no Maracanã, no próximo sábado (30/01). O objetivo é auxiliar a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), responsável pela organização do torneio, assegurando que todas as medidas de proteção e prevenção à pandemia do novo coronavírus sejam cumpridas durante o jogo entre Santos x Palmeiras.

Com efetivo de 500 agentes, a PM realizará patrulhamento ostensivo no entorno do estádio e intensificará as fiscalizações em pontos de concentração de torcidas na capital. Cerca de 50 policiais militares também farão a segurança dentro do Maracanã. O Corpo de Bombeiros atuará na fiscalização e coordenação de ações de prevenção e também no controle de aglomerações.

Exames para credenciados

Publicado na semana passada, o decreto que autoriza a realização do evento não permite a presença de público pagante. Apenas pessoas credenciadas pela Conmebol, com limite de até 10% da capacidade do estádio, podem acompanhar a partida. Além disso, os credenciados precisam apresentar exame tipo RT-PCR negativo para Covid-19, realizado no prazo máximo de cinco dias antes da realização do jogo.

Haverá, ainda, aferição de temperatura para acesso ao Maracanã. O uso de máscara de proteção será obrigatório durante todo o tempo, inclusive, na parte externa do estádio.

A Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) sobre o incêndio no centro de treinamento do Flamengo, o Ninho do Urubu, e tornou réus os 11 denunciados, incluindo o então presidente do clube Eduardo Bandeira de Mello. A informação é da Agência Brasil.

"Recebo a denúncia. Expeçam-se mandados para citação e oferecimento de resposta no prazo de 10 (dez) dias na forma do artigo 396 do Código de Processo Penal", registra o despacho assinado ontem (19) pelo juiz Marcelo Laguna Duque Estrada, titular da 36ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ).

Na denúncia, apresentada no dia 15, o MPRJ lista diversas irregularidades cometidas pelos denunciados como descumprimento de normas técnicas e desobediência a sanções administrativas impostas pelas autoridades.

O incêndio completa dois anos no início do próximo mês. O Ninho do Urubu era usado para treinamento das categorias de base do clube, mas não tinha alvará de funcionamento. No dia 8 fevereiro de 2019, os contêineres estruturados para dormitórios pegaram fogo, e dez adolescentes morreram e três ficaram feridos.

Ainda em 2019, a Polícia Civil chegou a indiciar oito pessoas por homicídio com dolo eventual e tentativa de homicídio. O MPRJ, no entanto, não imputou a nenhum dos denunciados o crime de homicídio. Eles responderão por incêndio culposo qualificado pelos resultados de morte e lesão grave.

Na modalidade culposa, entende-se que o crime é resultado da imprudência, negligência ou imperícia do autor, embora ele não tenha tido a intenção de cometê-lo e nem de assumir o risco. Nesses casos, não há previsão de prisão em regime fechado, apenas detenção em regime aberto ou semiaberto, em que o condenado precisa dormir na prisão, mas pode sair durante o dia. As penas para o incêndio culposo qualificado podem variar de 1 ano e quatro meses a até 6 anos.

Outro lado

Em nota, Bandeira de Mello diz que a investigação ignorou todas as petições feitas pela sua defesa. “Ao que tudo indica, a investigação simplesmente se preocupou em encontrar um ‘culpado’ pré-determinado, de maneira conveniente para alguns”. O ex-presidente do Flamengo afirma que no fim de seu mandato, em dezembro de 2018, “os meninos [estavam] já ocupando as novas e definitivas instalações, as melhores existentes no Brasil”.

“Estou certo de que a Justiça reconhecerá minha inocência em relação à lamentável tragédia que resultou nas mortes das crianças no Ninho do Urubu, fato ocorrido quando eu já não era mais presidente do clube”, diz a nota.

Horas após informar que um surto do novo coronavírus (covid-19) atingiu 17 pessoas, entre jogadores, membros da comissão técnica e funcionários, o Benfica (Portugal) anunciou que entrará em campo na próxima quarta-feira (20) contra o Braga pela Taça da Liga. A informação é da Agência Brasil.

Entre os infectados estão o lateral brasileiro Gilberto, o atacante alemão Lucas Waldschmidt, o zagueiro belga Vertonghen, o lateral espanhol Grimaldo e o atacante português Diogo Gonçalves.

Em nota, a equipe portuguesa informou que “não recebeu por parte das autoridades competentes [...] qualquer recomendação contrária às regras até agora vigentes nas competições nacionais. Ou seja, proceder ao isolamento dos jogadores que testaram positivo e incluir no lote de atletas à disposição da sua equipa técnica todos aqueles que testaram negativo, 48 horas antes da partida”.

O Benfica também informou que realizou, no decorrer da temporada, mais de 7 mil testes de detecção do novo coronavírus (covid-19) com os membros de sua equipe, com uma média de 82 por pessoa.

O Avaí informou que a contraprova realizada pelo meia Valdívia neste domingo (17) confirmou o resultado positivo para o novo coronavírus (covid-19). Segundo o clube de Florianópolis, o teste foi realizado “em outro laboratório de Maceió, onde a equipe jogou no sábado [16, contra o CSA, pela 35ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro]”. A informação é da Agência Brasil.

A partida no estádio Rei Pelé terminou empatada em 1 a 1. O camisa 10 do Leão iniciou o duelo como titular, mas foi substituído no intervalo. Conforme o Avaí, a mudança ocorreu após a delegação ser comunicada por um representante da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre o teste positivo do jogador na bateria de exames feitos pelo elenco horas antes de a bola rolar, por um laboratório local. Os testes visaram o compromisso pela 36ª rodada da Série B, contra o Juventude, na Ressacada.

De acordo com a nota do clube, Valdívia “está isolado, assintomático e assistido pelo médico do clube, Pedro Araújo, na capital alagoana”. No exame que antecedeu a viagem a Maceió, o teste do camisa 10 deu negativo para o novo coronavírus. O Avaí ainda estuda como procederá para o retorno do atleta a Santa Catarina.

O meia, portanto, desfalca o Avaí no jogo desta terça-feira (19), às 19h15 (horário de Brasília), em Florianópolis. O Leão ocupa o oitavo lugar da Série B com 49 pontos, seis pontos atrás do próprio Juventude, último time no G-4. A equipe de Santa Catarina ainda nutre remotas chances de subir à Série A do Brasileirão.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!