Terça, 14 Julho 2020
previous arrow
next arrow
Slider

Em entrevista coletiva, concedida nesta segunda-feira (27), o ministro da Saúde, Nelson Teich, informou que a pedido da Confederação Brasileira de Futebol, o Ministério avalia liberar a retomada dos campeonatos de futebol. Segundo Teich, a a avaliação é a respeito de jogos sem público. A informação é do portal Congresso em Foco.

"Isso é uma coisa que a gente está avaliando. Não que tudo que a gente avalia é para ser definido, não é definido, ainda. Mas, são algumas iniciativas que, de alguma forma, poderiam trazer uma rotina um pouco melhor para o cotidiano das pessoas, porque o enclausuramento tem impacto muito grande no bem-estar", afirmou.

Mais cedo, o próprio presidente Jair Bolasonaro havia falado sobre o assunto. Ele disse que esprerava da pasta um parecer que permitisse o retorno gradual de jogos de futebol, inicialmente com os portões fechados.

O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, declarou não aprovar o retorno das atividades envolvendo futebol, bem como treinamentos e partidas. A proibição faz parte de um conjunto de medidas para fortalecer o distanciamento social durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). No estado do Rio de Janeiro, as medidas restritivas, estabelecidas em decreto, seguem até o dia 30 de abril. A informação é da Agência Brasil.

Procurado pela Agência Brasil, o governador respondeu, em nota, que é “absolutamente contrário à realização de jogos de futebol ou treinos”.

“A pandemia ainda é grave e considero que, neste momento, não é adequado para a saúde e a segurança dos atletas ou de todos aqueles envolvidos nos jogos e treinamentos”, disse, em nota, Witzel que, na semana passada, postou um vídeo no Twitter anunciando que está com covid-19.

O campeonato estadual de futebol está suspenso desde o dia 16 de março e deve permanecer paralisado até o dia 30 de abril, segundo resolução da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj).

Na última semana, entretanto, o presidente Flamengo, Rodolfo Landim, segundo informações do jornal O Globo, tentou convencer o governador do Rio a liberar os clubes a voltarem a treinar no próximo dia 21.

Jogo Seguro Na semana passada, a Ferj publicou um documento batizado de Jogo Seguro. O intuito é servir como um conjunto de regras para possibilitar a volta gradativa das partidas de futebol.

O documento contém um conjunto de medidas baseado em conceitos recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde, Conselho Federal de Medicina, Associação Médica Brasileira e Sociedades Médicas Especializadas.

A Ferj destaca que as diretrizes só serão colocadas em prática quando permitidas pelos órgão de saúde.

No Brasil, todos os campeonatos de futebol estaduais estão paralisados, assim como qualquer competição de nível nacional e internacional disputada pelos clubes do país.

Nesta quinta (16), a Federação Internacional de Jogadores de Futebol (FIFPro) fez um alerta para o que chamou de ameaça ao crescimento do futebol profissional feminino, como uma indústria forte e viável, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). A informação é da Agência Brasil.

Segundo o secretário-geral da FIFPro, o holandês Jonas Baer-Hoffmann, “vivemos tempos sem precedentes e, como comunidade global do futebol, temos a responsabilidade de nos unir e apoiar nossa indústria (…) Caso clubes, ligas e competições de seleções nacionais comecem a falir, eles poderão desaparecer para sempre. Nosso objetivo final deve ser não apenas impedir que isso aconteça, mas construir uma base mais sólida para o futuro”.

Pensando na garantia da sustentabilidade do futebol feminino no contexto atual, a entidade publicou o documento de título “Covid-19: implicações para o futebol feminino profissional”, que apresenta as seguintes recomendações: priorizar o cuidado, a saúde, a segurança e o bem-estar das jogadoras em todos os processos de tomada de decisão; aplicar medidas e condições financeiras especiais para jogadoras, clubes e competições, quando necessário; garantir que os investimentos pré-crise sejam garantidos e não sejam retirados do futebol feminino, para que o mesmo seja sustentado e até impulsionado; exigir que nenhuma pessoa com base em seu sexo seja excluída de qualquer incentivo financeiro, programa de remuneração ou atividade que receba assistência financeira; desenvolver sistemas de solidariedade e apoio na indústria do futebol para ajudar a garantir que o futebol feminino não sofra danos extremos.

Nas palavras da diretora de futebol feminino da FIFPro, a norte-americana Amanda Vandervort, mesmo no atual contexto de incertezas há a “oportunidade de fazer mudanças estruturais tão necessárias que podem beneficiar o futebol como um todo (...) [e] aproveitar esse momento para apoiar as jogadoras e criar uma indústria estável para o futuro”.

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) deu início ao planejamento de retomada das atividades do Campeonato Carioca, paralisadas no últimos Na tarde de ontem (13), durante reunião por videoconferência com médicos 14 clubes e o infectologista Celso Ramos Filho, professor titular da Faculdade de Medicina da UFRJ, foi montado um grupo de trabalho que começou a confeccionar um protocolo batizado de ‘Jogo Seguro’. A informação é da Agência Brasil.

  • A confecção desse protocolo 'Jogo Seguro' é uma diretriz responsável e planejada para o retorno. É um trabalho pioneiro no Brasil. E criaremos uma Comissão Temporária na Ferj para a covid-19 para acompanhamento e consultorias para os diversos casos (clubes), afirmou o presidente da entidade, Rubens Lopes.

Em nota oficial, publicada no site da Ferj, a entidade faz questão de ressaltar que não haverá precipitação para a retomada do Estadual e,sobretudo, serão as recomendações das autoridades sanitárias. Na publicação, foram elencados ainda os principais pontos abordados pelo grupo de trabalho: deslocamento de atletas, uniformes e acessórios utilizados pelos profissionais envolvidos no campeonato, desinfecção e descontaminação, uso de sanitários, cuidados individuais, utilização de um corredor nos locais dos treinamentos, e a proibição de outros espaços (cozinhas e restaurantes).

As propostas apresentadas na reunião de ontem (13) serão organizadas e alinhadas em um documento, que deverá ser assinado por todos os integrantes da comissão em em nova reunião amanhã (14). Posteriormente as sugestões serão apresentadas para as autoridades de saúde. O Campeonato Carioca foi interrompido no dia 16 de março. Na ocasião, as atividades foram suspensas por 15 dias, porém, nove dias depois, ou seja, no dia 25, a FERJ ampliou o tempo de inatividade até 30 de abril. O Estadual foi paralisado na quarta rodada da Taça Rio, no segundo turno da competição.

Em reunião realizada anteriormente por um outro grupo de articulação - Comissão Nacional dos Clubes (CNC), que engloba equipes das Séries A, B, C e D - ficou definido, a princípio, que os campeonatos estaduais não serão cancelados, porém, não há um acerto no que diz respeito à data de realização das partidas restantes.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!