Sábado, 21 Mai 2022

No dia 14 de abril, será realizada a etapa de Barra do Piraí do CONAE 2022, a Conferência Nacional de Educação, ainda sem local e cronograma divulgados pela secretaria de Comunicação de Barra do Piraí. Neste ano, o tema da conferência será “Inclusão, equidade e qualidade”. Neste sábado, 02, será realizada uma passeata no Centro de Barra do Piraí como forma de divulgar informações sobre o dia da conscientização autista no município. Aproveitando a oportunidade, vamos utilizar esse espaço para alertar sobre a situação dos pais e responsáveis de crianças autistas matriculadas em escolas municipais de Barra do Piraí.

Nossa reportagem conversou um grupo de pais que pedem agilidade na resolução de uma questão importante para que seus filhos possam estudar sem perder ano letivo, a necessidade garantida pela Lei Federal nº 12.764 de mediadores para crianças autistas que, comprovadamente, através de laudos, necessitam de um profissional especializado para auxilia-las nas aulas para socialização e um melhor aprendizado.

Infelizmente, segundo esses pais, não há profissionais suficientes para todas as crianças matriculadas na rede municipal que necessitam desse serviço. Eles se uniram, através de um grupo no whatsapp, para cobrar atitudes por parte da secretaria de Educação. “Fomos bem recebidas por uma equipe da Educação e pela secretária da pasta, Glória Guimarães, em uma reunião realizada no local. Porém, recebemos a informação de que a prefeitura teve problemas na contratação desses profissionais, através de um processo seletivo. Problema que compromete hoje o ano letivo dessas crianças”, disse uma mãe, que não vamos identificar, para nossa reportagem.

Nesta terça-feira, 29, em uma entrevista realizada no programa Fatos RBP, na conexão AM e FM da Rádio Barra do Piraí, o prefeito de Barra do Piraí Mario Esteves declarou que não há condições hoje de contratar profissionais para todas essas crianças. Segundo o prefeito, por conta da pandemia, muitos pais que antes matriculavam seus filhos em escolas particulares, hoje estão matriculando essas crianças na rede municipal e por isso houve um aumento significativo de crianças com autismo para o município assistir. “Temos que esperar o próximo Censo Escolar municipal para poder contratar mais mediadores, através de um processo seletivo, para que possam ser assistidos no próximo ano”. Disse o prefeito. Segundo Mario Esteves, hoje são mais de cem crianças com espectro autista que necessitam de mediadores em Barra do Piraí, porém, o município tem hoje contratados apenas cerca de 40 mediadores e que não seria possível, em tempo hábil, contratar mais profissionais adequados para atender todas essas crianças.

“Estamos tentamos de todas as formas resolver esse problema, porém, os pais precisam entender e ouvir nossa parte também. Hoje o município não tem recurso para a contratação desses profissionais e é necessário aguardar o Censo para que mais mediadores possam ser contratados de forma legal, dentro dos trâmites necessários”, disse o prefeito.

Caso algum leitor não tenha ciência, o Censo Escolar é uma pesquisa estatística que tem por objetivo oferecer um diagnóstico sobre a educação básica brasileira. Coordenado pelo Inep, é realizado em regime de colaboração entre a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios.

Pais contestam algumas informações e pedem aprofundamento nessa questão “Nossos filhos estão perdendo anos letivos importantes”

Após a entrevista, nossa reportagem conversou novamente com esse grupo de pais que, apesar de entenderem a dificuldade financeira do município, contestam algumas informações do chefe do executivo municipal nessa entrevista. Segundo esses pais, não há dados que comprovem que na verdade esse aumento de crianças matriculadas seja fruto da pandemia e da transferência de escolas citada pelo prefeito. Na verdade, de acordo com o grupo, há alguns anos era impossível conseguir laudos para crianças entre 2 a 4 anos de idade que comprovassem a condição de autismo nelas. Com a evolução médica, hoje é possível cada vez mais cedo identificar o espectro autista nessa faixa etária e agir antecipadamente para amenizar os sintomas mais graves. Porém, é possível fazer uma estimativa de crianças por ano com autismo em cada município e se planejar para a contratação desses profissionais. “Quer dizer que todo ano crianças autistas não poderão estudar e terão que esperar o próximo Censo para a contratação desses profissionais? Não se trata apenas de recursos financeiros. É preciso se aprofundar nessa questão e ter vontade de encontrar maneiras de se garantir o que está na lei. Nossos filhos precisam estudar e aqueles que comprovadamente necessitam de mediador, tem que ter respeitado esse direito.”, questiona um pai ouvido por nossa reportagem.

Por conta do tempo de entrevista, não foi possível se aprofundar nessa questão diretamente. Porém, a reportagem do Grupo RBP de Comunicação se compromete a acompanhar nas próximas entrevistas esse tema para que, de alguma forma, auxilie na agilidade da resolução desse problema. O espaço está aberto para informações por parte da secretaria de Educação sobre o tema.

Por fim, o grupo nos enviou uma carta com o sentimento dos pais e responsáveis sobre o autismo, um alerta para a sociedade em relação ao respeito e conhecimento sobre o tema.

Carta dos pais: 02 de abril, Dia Mundial da Conscientização sobre o Autismo

"2 de abril é o dia mundial da conscientização do autismo

Queremos explicar o porquê é necessário que todos tenham consciência sobre o Transtorno do Espectro Autista ou TEA (acreditamos que a informação combate o preconceito).

Nossas crianças e adultos atípicos ou com deficiência sofrem preconceito, discriminação e muitos julgamentos o tempo todo.

O Autismo se apresenta de um jeito único em cada pessoa, o que torna ainda mais complexo para família a busca por educação, por saúde, por esporte e lazer, ou seja, as necessidades básicas para todo ser humano.

A luta por inclusão se torna uma ação constante na vida das famílias e cuidadores da pessoa com autismo.

Com todas as suas particularidades no seu modo único de ser, tarefas que nós consideramos simples e rotineiras são um desafio e demandam intervenção desde muito cedo.

Para os autistas, temos que ensinar coisas que para crianças sem o transtorno são naturais, o que acarreta sobrecarga para famílias. Por exemplo, olhar nos olhos é algo que tem que ser ensinado para uma criança com TEA, enquanto uma criança típica o faz sem requerer qualquer tipo de treino ou ensinamento.

Agora imagine a realidade de tarefas mais complexas mas igualmente importantes?

Autocuidado, instinto de preservação, perigo ou ainda comer ou se vestir, tudo é aprendido com esforço e com dificuldade, isso sem falar da sobrecarga emocional e sensorial das crianças que podem gerar crises e ainda outras dificuldades. É um mundo que só as famílias TEA conhecem e que a sociedade não enxerga e não entende.

Mas, para além do desenvolvimento cognitivo, autistas também precisam de cuidados médicos, multidisciplinares, escolas inclusivas que respeitem suas limitações para que eles se desenvolvam ao longo de sua vida.

Todas essas situações citadas anteriormente convivem diariamente com preconceito e exclusão. Julgamentos por seus comportamentos diferentes ditos como inadequados.

As leis que existem e que serviriam para proteger as pessoas com deficiência é ferida, violada pelo poder público ao negar acesso aos serviços de saúde dentro das necessidades dos Autistas. Igualmente negam o direito à uma inclusão equitativa e inclusiva, além de negarem o direto ao esporte e lazer, pois não há nenhum recurso disponível para este fim em nossa cidade.

Não oferecer uma vida com dignidade às pessoas com deficiência, é violar leis, é segregar.

E por este motivo, nos reunimos como Mães para lutar pela garantia dos diretos dos filhos.

Precisamos da aceitação da sociedade de modo geral, com respeito e empatia para olhar para as pessoas com necessidades especiais como indivíduos que merecem uma vida plena e feliz dentro de suas possibilidades. E que entendam a vulnerabilidade em vários aspectos, e a necessidade de que o cuidado e a proteção venham de todos.

LUTAMOS para que eles tenham acesso a tratamento, para que se tornem mais independentes dentro de suas possibilidades, mas a maioria não tem acesso aos tratamentos adequados tornando o desenvolvimento impraticável.

A luta contra o preconceito se faz com a informação e hoje precisamos que todos tenham consciência que o Transtorno do Espectro Autista existe e que precisamos olhar e respeitar a individualidade de cada um e saber que ali também existe uma pessoa que tem a contribuir e muito mais a nos ensinar."

O feminicídio é um crime que pode ser evitado porque, na maior parte das vezes, é o fruto de uma violência progressiva. Por isso, é importante que mulheres que estão em relacionamentos abusivos recebam ajuda e sejam amparadas.

As mulheres que sofrem violência doméstica podem buscar ajuda em órgãos públicos, com base em três eixos. Abaixo, telefones e locais de apoio para a mulher barrense:

Serviços de saúde: para os casos em que a mulher sofre violência física ou sexual. O Hospital Santa Casa de Barra do Piraí atende no telefone 2447-2750 e o Hospital Pérola do Vale (Maria de Nazaré), especializado em gestantes, atende no 2447-2000. No município, há também o Centro de Saúde da Mulher, unidade de cuidado especializado ao público feminino, na Avenida Amaral Peixoto, nº 57, no Centro.

Assistência social: serviços podem garantir as condições básicas de vida da mulher (proteção urgente, moradia, alimentação) e encaminhar a solução de questões como divórcio e guarda dos filhos. A secretaria de Assistência Social de Barra do Piraí atende no telefone 2443-1224.

Polícia e Justiça: vão proteger a integridade da mulher e responsabilizar e penalizar os agressores. A Polícia Militar, em Barra do Piraí através do 10º BPM, atende em situações emergenciais pelo telefone gratuito 190. A Defensoria Pública de Barra do Piraí, que atende pelo número 2445-4317, dá assistência jurídica, orientação e encaminhamento para mulheres vítimas de violência. A 88ª DP Civil de Barra do Piraí, localizada no bairro Matadouro, ao lado do posto do CVT, conta com núcleo de atendimento à mulher. Entre em contato pelo telefone 2445-4342. O Ministério Público de Barra do Piraí, que atende pelo número 2443-1591, possui promotorias especializadas que promovem a ação penal nos crimes de violência contra as mulheres. Também atuam na fiscalização dos serviços da rede de atendimento às mulheres.

Mais serviços de apoio geral

Hospitais de referência de saúde da mulher, UBSs, UPAs: A área da saúde deve prestar assistência médica, de enfermagem, psicológica e social às mulheres vítimas de violência física e sexual, antes mesmo de registro de boletim de ocorrência. A Lei do Minuto Seguinte, de 2013, garante às vítimas de estupros o atendimento multidisciplinar e integral. As unidades de saúde podem oferecer interrupção da gravidez prevista em lei nos casos de estupro, além de outros serviços e programas especializados no atendimento dos casos de violência doméstica.

Centros Especializado de Atendimento à Mulher: são espaços de atendimento psicológico e social, além de orientação e encaminhamento jurídico à mulher em situação de violência.

Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas): nem todo município possui centros especializados em mulheres, então o CREA, que atende famílias em pessoas em situação de risco social ou vulnerabilidade, pode ser um ponto de apoio para vítimas de violência.

Casa da Mulher Brasileira: é um equipamento que reúne no mesmo espaço vários serviços para mulheres vítimas de violência: acolhimento e triagem; apoio psicossocial; delegacia; Juizado; Ministério Público, Defensoria Pública; promoção de autonomia econômica; cuidado das crianças – brinquedoteca; alojamento de passagem e central de transportes. Estão em funcionamento nas seguintes unidades no país: Brasília, Curitiba, São Luís, Campo Grande, Fortaleza, São Paulo e Boa Vista.

Casas-abrigo: oferecem moradia protegida e atendimento integral a mulheres ameaças de morte ou sob grave risco. É um serviço de caráter sigiloso e temporário.

Casas de Acolhimento Provisório: são locais onde mulheres podem ficar abrigadas por até 15 dias, acompanhadas ou não dos filhos, e onde podem receber outros encaminhamentos e atendimentos de assistência social. São para casos em que a mulher não corre risco iminente de morte.

Central de Atendimento à Mulher: Atende no telefone180. Além de receber denúncias de violações contra as mulheres, a central encaminha o conteúdo dos relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos. O serviço também pode orientar mulheres em situação de violência, direcionando-as para os serviços especializados da rede de atendimento.

Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAMs): são unidades especializadas da Polícia Civil para atendimento às mulheres em situação de violência. Elas podem, por exemplo, expedir medidas protetivas de urgência ao juiz no prazo máximo de 48 horas.

Doação de Sangue: Para agendamento de doação de sangue no Hemocentro de Vassouras, basta procurar a Marcia ou qualquer um dos plantonistas do banco de sangue do Hospital Santa Casa, na Rua Franklin de Moraes, no Centro de Barra do Piraí, entre 9h e 17h, de segunda a sexta-feira. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (24) 2447-2750, através do Ramal 206/Banco de Sangue. A unidade realiza o agendamento, disponibiliza transporte ida e volta gratuito e atestado médico para os doadores.

Lista de internados na Santa Casa que necessitam de doação (Atualizado em 21/02/2022):

Jorge Ferraz de Oliveira (B+);

Maria Aparecida da Silva Alves (A+);

Antonieta Veronica de Oliveira (B+);

Aloisio Paulo da Silva (B+);

Maria Aparecida da Silva (B+);

Willer de Oliveira Santos (A+);

Diego Silva Dimioni (A+).

Caso queira ser um doador, é necessário:

Ter entre 16 e 69 anos (se for menor de idade, só com autorização dos pais e responsáveis);

Pessoas acima de 60 anos só podem doar se já tiverem doado sangue alguma vez antes dessa idade;

Estar com a saúde em dia;

Pesar, no mínimo, 50 kg;

Apresentar um documento original e com foto;

Não ter ingerido bebida alcoólica no mínimo 12 horas antes da doação;

Se tiver feito tatuagem é necessário aguardar um ano após a realização da mesma.

Vassouras

O hemocentro de Vassouras atende a 12 hemonúcleos da cidade, incluindo do de Barra do Piraí, e precisa de todos os tipos sanguíneos.

Caso queira agendar diretamente com o Hemocentro, entre em contato no número (24) 2471-8141, das 14h às 17h. Após marcar a data, é só se dirigir ao Hospital Universitário de Vassouras, localizado na rua Vicente Celestino, número 201, no bairro Madruga.

As doações sempre acontecem na parte da manhã, nas segundas, terças e quartas-feiras.

Para se candidatar: procure o Sine de Barra do Piraí, que fica localizado na Travessa Assumpção, 45, Centro, ao lado da prefeitura, de segunda a sexta-feira, das 08h30 às 16h30 horas, em porte do RG, CPF, comprovante de residência, carteira de trabalho e currículo para realizar o seu cadastro e encaminhamento.

Para mais detalhes sobre as vagas: ligue para o Sine em seu horário de serviço no número 2443-1254.

Vagas disponíveis (07 a 11 de fevereiro)

Ajudante de mecânico: ambos os sexos, alfabetizado, noções básicas de mecânica, que saiba usar esmerilhadeira.

Atendente: homem, morador de Barra do Piraí, com experiência em atendimento, noções de operação de caixa e disponibilidade para pegar peso (produtos pesados).

Atendente – Designer gráfico:  ambos os sexos, conhecedor de Corel Draw e informática, experiência na criação de artes (formal ou informal).

Auxiliar de Cozinha: homens, com experiência, com disponibilidade para trabalho noturno, retorno para residência fora do horário do ônibus.

Cozinheiro: homens com experiência em cozinha de hotel.

Mecânico Automotivo: experiência na função.

Serralheiro de Alumínio: sexo indiferente, experiência na função.

Técnico em Imobilização Ortopédica: ambos os sexos, experiência na função.

Ajudante de cozinha: jovens de 18 a 27 anos, disponíveis para morar em RJ e SP.

Garçom: jovens de 18 a 27 anos, disponíveis para morar em RJ e SP.

Encarregado de Manutenção: sexo masculino, ensino médio, proficiência em hidráulica, elétrica e manutenção civil, conhecimento de pacote office.

Artífice de Manutenção: sexo masculino.  Fará manutenção corretiva e preventiva de máquinas e instrumentos, sistemas hidráulicos, sistemas elétricos, reparos de alvenaria e etc. Experiência comprovada de 1 ano.

Professor de Inglês: ambos os sexos, moradores de Barra do Piraí, com experiência com crianças.

Promotor de Marketing: ambos os sexos, até 23 anos, Ensino Médio completo, Morador de Barra do Piraí. Pessoa comunicativa e com disposição.

Gerente de restaurante: ambos os sexos, morador de Barra do Piraí, disponibilidade de horário e experiência em restaurante.

Cuidador de idosos: com experiência e força física (o trabalho exige)

Pintor: 25 a 50 anos, experiência em carteira, habilitação b e sem medo de altura.

Eletricista: 25 a50 anos, experiência em carteira, habilitação b, será um diferencial o NR 10 válido.

Camareira de hotel: ambos os sexos, 25a 39 anos, ensino médio completo, experiência de atendimento ao público, noções de informática.

Essa matéria será sempre atualizada toda semana a partir do momento em que uma vaga tenha sido preenchida e outra esteja disponível.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!