Terça, 11 Agosto 2020
previous arrow
next arrow
Slider

O ex-secretário municipal de Obras do Rio Alexandre Pinto foi condenado a 23 anos de prisão por fraudes na licitação da obra da Transcarioca. A sentença foi decidida pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal e divulgada nesta segunda-feira (10). Também foram condenados Celso Reinaldo Ramos Júnior e Juan Luis Bitlonnch, envolvidos no recebimento e transferência para o exterior da propina. A informação é da Agência Brasil.

Pinto foi condenado por crime de lavagem de dinheiro envolvendo organização criminosa, por crime de corrupção passiva e por violação do sigilo de concorrência. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Alexandre recebeu, entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, cerca de US$ 1 milhão da empresa Andrade Gutierrez, que ficou responsável pela construção de lote da Transcarioca, entre os bairros da Penha e Barra da Tijuca. O dinheiro foi intermediado por Celso Reinaldo, de acordo com a denúncia.

Antes disso, em outubro de 2013, também segundo a denúncia, o ex-secretário da gestão do então prefeito Eduardo Paes havia transferido US$ 274 mil para um banco em Mônaco, na Europa. A transferência, sem autorização legal, foi feita com a ajuda de Juan Luis.

Alexandre já havia admitido à Bretas, em 2018, o recebimento de propina, tendo inclusive citado que o ex-prefeito sabia das tratativas, o que foi negado por Paes. Funcionários de empreiteiras também denunciaram, em audiência à época, o pagamento de propinas em obras ligadas à Transcarioca.

Por suas participações no esquema, Bretas condenou Celso Reinaldo a 24 anos de oito meses de prisão e a Juan Luis a 21 anos e um mês de reclusão. A reportagem não conseguiu contato com as defesas dos três condenados.

A Transcarioca é uma via expressa de 39 km, construída para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, que liga o Aeroporto Internacional do Galeão à Barra da Tijuca.

Na sexta-feira, 07, um homem de 50 foi preso sob suspeita de tráfico de drogas em Valença. De acordo com denúncias, ele estaria praticando venda de entorpecentes no bairro Água Fria, onde foi localizado por agentes da Polícia Militar, e dali, seguiria para o bairro Carambita. As informações são da Polícia Militar.

O suspeito, sabendo da movimentação dos militares pela área, tentou fugir, mas foi localizado após buscas. 36 papelotes de cocaína e dinheiro em espécie foram encontrados com o indivíduo, que confessou que os entorpecentes eram dele.

O homem foi levado à 91ª delegacia (Valença), em que o caso foi registrado.

O secretário de Transportes do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, preso hoje (6) durante a Operação Dardanários, da Polícia Federal (PF), na capital paulista, pediu licença de 30 dias do cargo. Segundo o governo do estado de São Paulo, o secretário afasta-se da administração estadual para se concentrar exclusivamente em sua defesa. A informação é da Agência Brasil.

“À frente da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, Baldy retomou obras de mobilidade, garantiu a renovação da frota de ônibus intermunicipais e acelerou a construção de cinco estações do Metrô. Alexandre Baldy tem demonstrado competência, dedicação e postura idônea no exercício da sua função no governo de São Paulo”, diz nota do Palácio dos Bandeirantes.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos passará a ser comandada temporariamente pelo secretário executivo, Paulo Galli.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a Operação Dardanários é desdobramento das operações Fatura Exposta e SOS, que apuram desvios de recursos do estado do Rio de Janeiro repassados para a organização social (OS) Pró-Saúde, que administrou diversos hospitais no Rio de Janeiro e outras localidades do país.

O MPF informou que, a partir da colaboração premiada de ex-diretores da OS, foi possível concluir como era feito o pagamento de vantagens indevidas para agentes que pudessem interceder em favor dela nos recebimentos do contrato de gestão do Hospital de Urgência da Região Sudoeste (HURSO), em Goiânia, administrado pela Pró-Saúde entre 2010 e 2017.

O governador Wilson Witzel assinou ontem decreto que estabelece as normas para ocupação das vagas dos cursos de aperfeiçoamento dos sargentos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro. Na cerimônia, no Palácio Guanabara, o governador também assinou ato de convocação imediata de mais 400 candidatos aprovados no concurso de 2014 da corporação.

  • Na segurança pública, a Polícia Militar tem sido fundamental para o nosso crescimento econômico. Quero reafirmar meu compromisso com a tropa por acreditar que este é o melhor modelo. Temos uma Secretaria de Polícia Militar com autonomia para definir as suas estratégias e planejar, da melhor forma possível, os investimentos e a formação de seus homens e mulheres. Por acreditar nisso, quando esta demanda foi apresentada, conversei com o comando e avaliamos que o segundo sargento, em média com duas décadas de serviço na polícia, certamente já adquiriu, na vida prática e ao longo das instruções em batalhões, uma formação profissional que o capacita a ser aperfeiçoado neste curso – afirmou Wilson Witzel.

A partir de agora, será permitido que os 2° sargentos da PM com mais tempo de serviço possam ingressar no Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS), pré-requisito para a ascensão à graduação posterior de 1° sargento e sequência da progressão funcional. Com isso, 3,2 mil policiais poderão ser beneficiados.

  • A partir desta assinatura, o edital para o CAS sairá em três semanas. A medida permite que a corporação tenha autonomia e condições de estender o curso para todos os policiais militares. Hoje, temos em torno de três mil habilitados. Haverá um módulo EAD (ensino a distância) e o período total de duração será de seis meses – disse o comandante-geral da PM, coronel Rogério Figueredo.

As vagas estipuladas para os cursos serão preenchidas de acordo com as normas estabelecidas em edital próprio, em que poderão concorrer na Polícia Militar os 2º sargentos masculinos e femininos de cada Qualificação Policial Militar Particular (QPMP), e no Corpo de Bombeiros Militar concorrerão todos os 2º Sargentos, exceto os músicos da corporação, regidos por legislação específica.

Convocação de 400 aprovados no concurso de 2014

O governador Wilzon Witzel também autorizou a convocação de 400 candidatos aprovados no concurso público para formação de soldados da Polícia Militar, que ingressarão no curso de formação no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), com o objetivo de reforçar o policiamento no estado do Rio de Janeiro.

  • A Polícia Militar está em condições de convocar mais 400 candidatos do concurso de 2014. Nós faremos esta convocação imediatamente. O Centro de Seleção já está pronto para recebê-los, bem como o CFAP também. Tudo será feito de forma imediata – confirmou o comandante-geral da PM.

A atual gestão do Governo do Estado tem trabalhado na recomposição do efetivo da Polícia Militar. Desde 2019, já se formaram 984 policiais militares que já reforçam o policiamento nas ruas do Rio de Janeiro. Em 2020, já foram formados 500 soldados e outros 1.500 aguardam a reabertura das atividades pedagógicas para concluir o curso. Os últimos 800 candidatos remanescentes do concurso de 2014 ainda serão convocados – 400, a partir de agora, e os demais 400 até o final de 2020.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!