Quarta, 30 Setembro 2020
previous arrow
next arrow
Slider

Autoridades do governo peruano condenaram o dono de uma boate, depois que pelo menos 13 pessoas morreram pisoteadas ou asfixiadas enquanto frequentadores tentavam sair de uma festa invadida pela polícia por violar as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. A informação é da Agência Brasil.

Pelo menos seis pessoas ficaram feridas, incluindo três policiais, enquanto cerca de 120 tentavam escapar do clube Thomas Restobar no distrito de Los Olivos, em Lima, na noite desse sábado (22). A polícia chegou para interromper o evento, que havia sido relatado por vizinhos, informaram a polícia nacional e autoridades do governo.

As pessoas ficaram presas entre a única porta de entrada e uma escada que conduzia à rua, disseram as autoridades.

O Peru determinou o fechamento de boates e bares em março e proibiu reuniões de família em 12 de agosto, para combater o segundo maior índice de infecção de covid-19 da América Latina. Um toque de recolher aos domingos também está em vigor.

Em comunicado, o Ministério do Interior atribuiu as mortes à "irresponsabilidade criminosa de um empresário inescrupuloso".

A ministra da Mulher do Peru, Rosario Sasieta, pediu penalidades severas para a administração do clube que organizou o evento.

O inquérito da Polícia Civil que investiga o assassinato do pastor Anderson do Carmo concluiu que a mandante do crime foi a esposa dele, a deputada federal Flordelis. A informação é da Agência Brasil.

De acordo com o delegado Allan Duarte, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSGI), no Estado do Rio de Janeiro, na primeira fase da investigação foi identificado como executor o filho biológico da deputada, Flávio dos Santos Rodrigues. O filho adotivo do casal, Lucas César dos Santos, foi apontado como a pessoa que comprou a arma utilizada no assassinato.

Na segunda fase da apuração, ainda segundo o delegado, novas provas e ações de inteligência constataram que Flordelis foi a mandante do homicídio. A investigação aponta como motivação principal a disputa de poder entre o casal e a emancipação financeira dela.

Nesta manhã, a polícia e o Ministério Público Estadual (MPRJ) realizam a Operação Lucas 12, que visa cumprir nove mandados de prisão e 14 de busca e apreensão contra onze envolvidos na morte do pastor. Os endereços são no Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo e em Brasília.

Parlamentar é indiciada Flordelis foi indiciada pelo crime de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa majorada. Cópia do inquérito será encaminhado à Câmara dos Deputados para a adoção de medidas administrativas.

O pastor Anderson do Carmo foi assassinado no dia 16 de junho do ano passado, dentro da própria casa, no bairro Badu, em Niterói. Na ocasião, Flordelis relatou que o pastor teria sido morto durante um assalto, após o casal ter sido seguido por elementos suspeitos em uma moto. Ele foi atingido por tiros na garagem, quando retornou ao carro para buscar algo que tinha esquecido.

O delegado Allan Duarte dará mais detalhes da investigação em entrevista coletiva às 10h de hoje, na Cidade da Polícia, no Rio.

Versão do Ministério Público

Segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), os mandados foram expedidos pelo Juízo da 3ª Vara Criminal de Niterói, e a ação conta com o apoio da Polícia do Distrito Federal. O mandado de prisão de Flordelis não foi pedido por ela ter imunidade parlamentar.

Os alvos dos mandados de prisão preventiva abrangem os denunciados Marzy Teixeira da Silva, Simone dos Santos Rodrigues, André Luiz de Oliveira, Carlos Ubiraci Francisco da Silva, Rayane dos Santos Oliveira, Flávio dos Santos Rodrigues, Adriano dos Santos Rodrigues, Andrea Santos Maia e Marcos Siqueira Costa.

A denúncia apresentada à Justiça pelo MPRJ aponta que Flordelis foi responsável por “arquitetar o homicídio, arregimentar e convencer o executor direto e demais acusados a participarem do crime sob a simulação de ter ocorrido um latrocínio”. Ela também teria financiado a compra da arma e avisado a chegada da vítima no local em que foi executada.

Ainda de acordo com oo MPRJ, a motivação do crime seria o fato de o pastor Anderson “manter rigoroso controle das finanças familiares e administrar os conflitos de forma rígida, não permitindo tratamento privilegiado das pessoas mais próximas a Flordelis, em detrimento de outros membros da numerosa família”.

Os demais denunciados teriam participado do planejamento, incentivo e convencimento para a execução do crime, além de tentativas de homicídio anteriores com o uso de veneno.

Trânsito nos dois sentidos já foi liberado, porém segue congestionado. Feridos em acidente foram encaminhados para a Santa Casa de Barra do Piraí (Foto: PRF)

No início da manhã desta quinta-feira (20), um acidente envolvendo dois carros emplacados em Barra do Piraí deixou pelo menos três pessoas feridas na BR-393, a Rodovia Lúcio Meira. A colisão aconteceu dentro do km 264, na altura do distrito da Califórnia, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal.

Os feridos foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros ainda no local do acidente e encaminhados para a Santa Casa da cidade. Até a publicação desta reportagem, a unidades hospitalar não havia divulgado informações sobre o estado de saúde das vítimas.

O acidente aconteceu às 8h. A estrada ficou fechada nos dois sentidos por pouco mais de uma hora. A pista sentido Barra do Piraí foi liberada por volta das 9h20. Neste mesmo horário, o sentido Volta Redonda continuava interditado, provocando um congestionamento que passava dos 5 km.

Ainda segundo a PRF, não estava chovendo no momento do acidente, mas a pista estava molhada. Com o impacto da batida, os carros ficaram com a parte frontal muito danificada.

Pelo menos 45 imigrantes e refugiados africanos morreram no Mediterrâneo, no pior naufrágio na costa da Líbia este ano, afirmaram agências da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta quarta-feira. A informação é da Agência Brasil.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e a Organização Internacional de Migração (OIM), em comunicado sobre o acidente, pediram mais capacidade de busca e resgate para responder aos apelos por socorro.

“Por volta de 37 sobreviventes, majoritariamente de Senegal, Mali, Chade e de Gana, foram resgatados por pescadores locais e detidos ao desembarcar”, disse o comunicado.

“Eles relataram aos funcionários da OIM que mais 45, incluindo cinco crianças, perderam suas vidas quando o motor do navio explodiu na costa de Zuara”, afirmou.

O naufrágio leva o total de mortes a pelo menos 302 este ano na rota de imigrantes que passa pela Líbia em direção à Europa, acrescentou o comunicado das agências da ONU.

Nos últimos meses, centenas de imigrantes foram parados em alto-mar e seus barcos foram enviados de volta à Líbia, apesar do risco de violência naquele país.

Com navios estatais da Líbia se responsabilizando pelos resgates, na ausência de um programa da União Europeia, mais de 7 mil pessoas retornaram à Líbia este ano.

A OIM e Acnur disseram que a Líbia não deve ser classificada como um porto seguro para imigrantes e que eles não deveriam desembarcar lá. As agências defendem um esquema alternativo para levar pessoas resgatadas ou interceptadas em alto-mar a lugares considerados seguros.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!