Quinta, 27 Junho 2019
previous arrow
next arrow
Slider

Ontem pela manhã (21), um homem – identificado como Rodolfo Militão da Silva, de 26 anos – foi encontrado morto na Rua Professora Alice Aiex, no bairro Coimbra, em Barra do Piraí. Segundo a perícia, foram encontradas marcas de pauladas e pedradas no corpo.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima, que tinha passagens pela polícia por roubo, teria sido espancada até a morte por traficantes. Os agentes chegaram a fazer uma operação durante a madrugada para prender os líderes de facções, mas sem sucesso.

O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal e o caso registrado na 88ª DP de Barra do Piraí, onde o caso será investigado.

Foto: Divulgação

O crescimento dos casos de violência contra a mulher despertou a preocupação da Secretaria de Estado de Polícia Civil. Desde então, a instituição vem intensificando as ações de investigação e prevenção contra este tipo de crime. Como resultado deste trabalho, o número de prisões de autores de agressões contra mulheres chegou a 210 nos três primeiros meses de 2019, o que representa um aumento de 229% em comparação a 2018.

"Desde janeiro, a Polícia Civil do Rio vem reforçando as ações para o enfrentamento da violência contra a mulher. Só nos primeiros meses de 2019, conseguimos proteger cerca de 200 vítimas. Nosso trabalho, tanto de investigação quanto de prevenção, é contínuo e visa sempre à interrupção do ciclo da violência", afirmou a delegada Juliana Emerique, coordenadora- geral das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (CGDEAM).

A difusão da informação, principalmente por meio das redes sociais, sobre o ciclo da violência e os diversos tipos de violação de direitos são fatores que a delegada atribui para que mais mulheres tenham coragem para denunciar os abusos. "Hoje, vemos um acesso maior aos grupos de mulheres que falam sobre a violência doméstica. Isso acaba despertando uma maior conscientização dos seus direitos e, por consequência, o empoderamento", ressaltou.

A diretora cita a criação da Coordenadoria Geral das Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher como outro ponto positivo. "Com a coordenadoria, foi possível dar mais visibilidade a esse tipo de crime, além de fornecer mais autonomia às delegacias especializadas para que os processos tenham mais celeridade", comemorou.

Ao todo, 14 DEAMs no estado

O Rio de Janeiro conta com 14 Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher. As equipes são treinadas para atender às vítimas de violência com um serviço humanizado em ambientes acolhedores. Segundo dados do Dossiê Mulher, do Instituto de Segurança Pública (ISP), a maior parte dos casos é registrada nas residências, ou seja, quando o agressor é um conhecido – marido, pai, irmão, tio, vizinho.

"A maior porcentagem dos casos de violência está na casa ou próxima da vítima. Por isso, é importante que o cidadão não se omita quando testemunhar uma agressão contra a mulher. O silêncio mata. Ainda lembramos que a violência não se manifesta somente na forma física. Ela pode ser moral, psicológica, sexual e patrimonial. A culpa nunca é da vítima", concluiu a delegada.

A Barreira Fiscal realizou nesta terça-feira, 16, uma operação conjunta com a Vigilância Sanitária, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Batalhão de Ação com Cães (BAC) no posto fiscal de Angra dos Reis, na Rodovia Rio-Santos (Km 493) Rota Parati -Angra dos Reis. Ao todo foram abordados 313 veículos de passeio, ônibus e caminhões. O objetivo da ação é o de coibir a entrada de drogas, armas, e cargas com irregularidades.

Na ação de hoje um homem foi conduzido a DP para verificação pois estava com um mandado prisão em aberto pelo crime de receptação. Também recuperou um veículo roubado. As ocorrências foram apresentadas na 166ª DP. Os fiscais da Vigilância Sanitária aplicaram 13 multas por falta de licenciamento sanitário da carga de veículos e descartou produtos alimentícios que estavam sendo transportados fora da temperatura devida.

 

Na tarde desta quarta-feira, 17, deve ser ouvida a mulher que encontrou em seu quintal um bebê recém-nascido abandonado no distrito de Ipiabas, em Barra do Piraí. Segundo informações da Polícia Civil, a criança, um menino, estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço e foi levado ao Hospital e Materninade Maria de Nazaré, onde se recupera de uma infecção. Seu quadro de saúde é estável. A criança foi abandonada no último domingo, 14, e os agentes procuram pela mãe. O caso foi registrado na delegacia de Barra do Piraí.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!