Domingo, 16 Dezembro 2018
previous arrow
next arrow
Slider

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), e a Polícia Civil, por meio do Núcleo de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (NUCC-LD), e o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) realizam a operação Templum, nesta terça-feira (11/12), para cumprir mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Mesquita, na casa do ex-secretário de governo da Prefeitura, Bruno Daumas Ferreira dos Santos, na sede da empresa Nil Locações Ltda., e em outros três endereços. O MPRJ também requereu a quebra de sigilo de dados dos bens apreendidos.

De acordo com as investigações, Bruno Daumas Ferreira dos Santos mantém um esquema criminoso de fraude em licitações envolvendo a Prefeitura de Mesquita, tendo como “laranjas” Raphael Loureiro Souza, Marcelo dos Santos Simões e Tania Maria da Silva Souza – tia de Raphael. Osvaldo da Costa Silva, vulgo Ratinho – já falecido –, era o principal investigado nos autos em razão de sua relevância no esquema criminoso, pois era o verdadeiro responsável pelas empresas.

Bruno coordenava um esquema de rodízio de nomeações e exonerações de servidores para trabalharem com as empresas envolvidas nas fraudes. No diálogo capturado em interceptação telefônica Bruno negocia a nomeação de motoristas que não possuíam carteira de habilitação.

De acordo com as investigações do GAECO/MPRJ, os depoimentos colhidos nos autos apontam que os “laranjas” também se beneficiavam dos crimes. Em uma das conversas telefônicas interceptadas, Raphael informa a Tania que um depósito de R$ 10 mil havia sido feito em sua conta e diz que, desse valor, R$ 5 mil eram da “primeira parcela daquele negócio”. O carro e a linha telefônica de Raphael também estão em nome da tia.

Marcelo dos Santos Simões era, na verdade, motorista de Osvaldo, e emprestou seu nome para abrir as empresas utilizadas para fraudar as licitações da Prefeitura. Em depoimento, Marcelo informou que não exercia a atividade empresarial, pois quem exercia de fato as funções de administrar as empresas era o próprio Osvaldo. Em diálogo interceptado Osvaldo e Marcelo trocam poucas palavras demonstrando cuidado ao falar ao telefone.

Na Prefeitura, o cumprimento dos mandados de busca e apreensão conta com a participação de analistas de controle externo do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ).

Segundo a Polícia Militar, o assaltante que manteve Tereza de Jesus Ferreira Sacramento, de 83 anos, como refém na manhã desta quarta-feira (5), após assaltar uma joalheria, no Centro de Valença, foi identificado como Cristiano Pereira Fabiano, de 24 anos.

Segundo os agentes, sua família é de Itatiaia, aproximadamente 130 km de Valença. Alguns familiares estiveram hoje na cidade onde Cristiano foi morto pelos policiais para reconhecimento do corpo.

O comandante do 10º batalhão da PM de Valença, Tenente Coronel Marcelo Teixeira, através de uma coletiva de imprensa realizada ontem (05), na sede do 10º BPM de Barra do Piraí, fez questão de ressaltar que essa foi a decisão correta a se tomar no momento. Segundo ele, em uma ocorrência policial dessa natureza, os policiais precisam estabelecer uma prioridade, e ela naturalmente vai recair sobre o “cidadão de bem”. Diante desse cenário, em frações de segundos, os policiais decidiram pela escolha técnica que foi a melhor possível.

Decisão essa que repercutiu inclusive em Brasília: o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), parabenizou em seu twitter aos policiais militares que participaram da ação, reforçando a ideia de que a vida do “cidadão de bem” deve ser prioridade.

A publicação já teve mais de 3 mil compartilhamentos e mais de 20 mil curtidas. O filho de Jair Bolsonaro, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL) também comentou o caso em sua rede social, destacando que os agentes merecem uma medalha.

Foto: Reprodução Redes Sociais/ Montagem Grupo RBP de Comunicação

Primeiras informações sobre um assalto no Centro de Valença: Segundo o Radio Operador da Terceira Companhia da PM, um elemento armado realizou um assalto hoje pela manhã (05) a uma joalheria no Centro de Valença e, na fuga, fez uma idosa de refém.

Agentes da Polícia Militar estavam no local quando o assaltante ameaçou atirar na senhora. Segundo relatos de testemunhas, a polícia agiu rapidamente enquanto o criminoso estava distraído e conseguiu abatê-lo com um tiro na cabeça. A idosa, identificada como Tereza de Jesus Ferreira Sacramento, de 83 anos, não se feriu. Ela recebeu atendimento médico e deve prestar depoimentos nos próximos dias na 91ª Delegacia de Polícia Civil de Valença.

Testemunhas informaram que o homem anunciou o assalto e enquanto colocava as joias na mochila, a dona do estabelecimento saiu e acionou a polícia. Ele percebeu e fugiu do local sendo perseguido por um segurança da loja. Uma viatura passou e começou uma nova perseguição. Nessa hora o assaltante fez a senhora refém.

Moradores que presenciaram a ação, gravaram vídeos (incluindo o que postamos no facebook do Grupo RBP de Comunicação). Nas imagens é possível ver o assaltante armado, segurando a vítima, enquanto um policial apontava a arma em direção a ele. Pessoas gritavam para ele soltar a idosa. Em um momento, ela tropeça nos paralelepípedos e cai no chão, e o policial atira contra o bandido, que morre na hora. A mulher não ficou ferida.

Até o momento a identidade do assaltante não foi divulgada. Mais informações em breve, após o Registro de Ocorrência oficial sobre o caso, feito pela Polícia Militar.

Foto: Enviada através do Whatsapp

Um caminhoneiro, de 47 anos, foi preso hoje (03) após apresentar uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa na Via Dutra, em Piraí. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o veículo com placas de Jacareí, SP, foi abordado durante uma fiscalização no km 227, no início da descida da Serra das Araras.

Ainda de acordo com a PRF, ao solicitar a documentação, os agentes observaram indícios de inautenticidade. Após consulta ao sistema, foi confirmado que o documento era falso. O motorista disse que pagou R$ 1,2 mil pela CNH e achava que a carteira era verdadeira.

O caso foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Rodoviária Federal em Volta Redonda.

Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal

Informações G1

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!