Segunda, 27 Setembro 2021
barra-bela
sindicato
bethanea-fisioterapeuta
palha-italiana-10-12-2018.jpeg
arte-emerson.jpeg
arte-ugb-padrao.jpeg
sandro-e-alice-junho-2020.jpeg
Arte-Dr-Junior-e-Melissa.jpeg
previous arrow
next arrow

O Governo do Estado do Rio lançou a Força Especial de Controle de Divisas - Operação Foco. A nova ação substitui o programa Barreira Fiscal e inaugura em sua estrutura uma Coordenadoria de Inteligência para nortear as ações do programa visando à recuperação de ativos. A operação vai atuar de forma integrada com órgãos estaduais, federais, municipais e, principalmente, com a Inteligência da Polícia Civil.

"Vamos atuar em integração com vários órgãos, numa força-tarefa para realizar uma fiscalização de barreiras cada vez mais eficaz, com uma grande cooperação da Secretaria de Fazenda. Um dos principais focos da nova operação é aumentar a arrecadação do Estado do Rio, utilizando a inteligência no monitoramento das fronteiras do Rio de Janeiro,' afirmou o secretário da Casa Civil, Nicola Miccione.

O objetivo é ter maior controle das divisas do Estado do Rio e desmontar redes, aumentando o mercado formal que recolhe tributos. O controle, além de trabalhar na recuperação de ativos, também vai atuar na repressão ao crime e à entrada de armas e drogas no estado.

"As fronteiras estaduais têm sido território de atuação de organizações criminosas responsáveis por grande parte da perda de arrecadação do estado. E, por isso, a Operação Foco é essencial na retomada do Rio de Janeiro. O objetivo é contribuir, por meio de uma atuação integrada e pautada pela inteligência, para a segurança e o aumento da arrecadação do nosso estado", disse o subsecretário Especial de Controle de Divisas, Edu Guimarães.

A Operação Foco vai atuar de maneira volante em vários pontos de entrada para o estado, além de manter a fiscalização nos postos fixos de Itatiaia, Levy Gasparian, Campos dos Goytacazes, Angra dos Reis e Itaperuna. O programa visa aprimorar e intensificar a atuação conjunta com auditores fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda.

Nesta quarta-feira, 25, foi aprovada em segunda discussão na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), a implementação de uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) no município de Vassouras. A iniciativa tem o objetivo de suprir a carência por mais unidades não só para atender o município vassourense, mas também a região Centro-Sul como um todo, já que a unidade mais próxima fica em Volta Redonda.

Como salientou o deputado Eurico Junior, a instalação da unidade está prevista na lei Maria da Penha, que recentemente completou 15 anos. A chegada da Deam à Vassouras atenderia municípios como Areal, Comendador Levy Gasparian, Engenheiro Paulo de Frontin, Mendes, Miguel Pereira, Paracambi, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, Sapucaia e Três Rios.

"As mulheres do interior do estado precisam estar mais bem amparadas. Infelizmente, as estatísticas no país mostram aumento nos registros de violência, mas esses números podem estar mascarados em regiões onde não há delegacias especializadas no atendimento às vítimas. A demora e dificuldade de acesso atrapalham desmotivam as mulheres a procurarem a autoridade policial. Por isso, o Centro-Sul do Rio de Janeiro necessita de uma Deam", lembrou uma das coautoras do projeto de lei, deputada Adriana Balthazar.

De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), os registros de violência contra mulher subiram 19% entre os anos de 2018 e 2019. A medida agora segue para sanção ou veto do governador Cláudio Castro, que tem 15 dias para tanto

Nesta quinta-feira, 26, um adolescente de 17 anos foi apreendido por suspeita de envolvimento no assassinato de Ronaldo Brandão da Silva Filho, o Russão, no dia 02 deste mês. A motivação do crime seria, supostamente, relacionada a uma reivindicação por "melhores salários" em uma facção criminosa. O caso foi registrado na 88ª DP.

De acordo com o delegado titular da 88ª DP de Barra do Piraí, Rodolfo Atala, o jovem, que tem diversas passagens pela polícia, por tráfico e associação ao tráfico, teria matado Russão, efetuando diversos disparos por arma de fogo, por insatisfação dos integrantes da facção com a reivindicação "salarial". Ainda conforme Atala, líderes da organização teriam espalhado nas redes sociais que Russão teria sido morto por policiais.

“As mensagens tinham o claro objetivo de imputar uma execução sumária a policiais da cidade de Barra do Piraí. Muitos moradores se revoltaram e chegaram a chamar os policiais de assassinos. Contudo, as investigações da Polícia Civil demonstraram que tudo era uma farsa com a intenção de colocar a população contra a polícia”, disse Atala.

O homicídio de Russão aconteceu próximo à Travessa Ernesto Francisco, ligação da rua Cristiano Otoni com o bairro Morro do Gama. O tiroteio foi ouvido por diversas pessoas, Russão foi socorrido e encaminhado à Santa Casa de Barra do Piraí com ferimentos no tórax, mas não resistiu.

Nesta quarta-feira, 25, mãe e filha foram presas no Bairro de Fátima, distrito da Califórnia, em barra do Piraí, por suspeita de estelionato.

Segundo a Polícia Civil de Volta Redonda, o crime aconteceu em 2014. As duas teriam convencido a vítima a comprar um apartamento que não existia e utilizaram o dinheiro para adquirir uma loja comercial no Centro de Volta Redonda e financiar um carro.

Um mandado de prisão foi expedido e as mulheres, de 27 e 48 anos, foram encaminhadas para a 94ª Delegacia de Polícia Civil, em Volta Redonda.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!