Sábado, 04 Dezembro 2021

O Governo do Estado do Rio de Janeiro definiu as datas de pagamento do IPVA de 2022 para os veículos do estado. De acordo com o calendário, publicado no Diário Oficial desta terça-feira (30/11), o primeiro vencimento da quitação integral e da primeira parcela acontece no dia 21 de janeiro do próximo ano, para os veículos com placa final 0 (zero). Para os proprietários que preferirem parcelar, será permitido o pagamento em três vezes mensais iguais, conforme o número final da placa do veículo – veja o calendário abaixo.

O pagamento do IPVA deverá ser feito por meio da GRD (Guia de Regularização de Débitos), que poderá ser retirada pelo contribuinte pela internet, no Portal da Sefaz-RJ (www.fazenda.rj.gov.br) ou do banco Bradesco (www.bradesco.com.br). É preciso ter em mãos o número do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores). O pagamento poderá ser realizado em qualquer agência bancária.

Sobre os valores venais (preços de mercado) dos veículos, calculados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), são aplicadas as alíquotas do imposto (4% para carros flex, 2% para motos e 1,5% para carros movidos a GNV).

A Sefaz-RJ dispõe de um portal exclusivo com informações e serviços relativos ao IPVA. Para acessar, basta ir ao endereço www.fazenda.rj.gov.br/ipva

Na noite desta terça-feira, 01, os advogados da mulher, de 40 anos, detida no último sábado, 27, após determinação do presidente Jair Bolsonaro na Via Dutra, em Resende, negaram que sua cliente teria utilizado o termo homofóbico “noivinha do Aristides”, como tem sido divulgado nas redes sociais, e sim o xingamento “filho da p*ta”, segundo eles, por um momento de “grave estresse em decorrência do engarrafamento”.

O presidente da República estava na cidade do Sul Fluminense para a formatura dos cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras. De acordo com a versão do presidente, antes de seguir para a cerimônia na Aman, Bolsonaro foi até a margem da Via Dutra para acenar para motoristas que passavam pela rodovia e cumprimentar os policiais rodoviários federais que atuavam em sua segurança. A mulher estava em um dos carros próximos. Além de Bolsonaro, membros da comitiva e outras pessoas que estavam presentes teriam testemunhado a mulher gritar “noivinha de Aristides”, termo de cunho homofóbico que faz referência a um apelido que Bolsonaro teria recebido na época de militar.

Após os xingamentos, o carro foi abordado pela Polícia Rodoviária Federal e a mulher foi detida por injúria contra o presidente da República e encaminhada para a delegacia da Polícia Federal de Volta Redonda.

Porém, os advogados da acusada, Dr. Marcello Martins e Dr. Luiz Augusto Guimarães, oriundos de Barra do Piraí, apresentaram uma defesa técnica representando os interesses de sua cliente e apresentando a versão dela dos fatos.

Na defesa, os advogados negam que a mulher teria proferido tal termo e que, na verdade, ela nem tinha conhecimento sobre ele. Que na verdade, por ela ser uma profissional de saúde, e por conta “de um momento de grave estresse em decorrência do engarrafamento e por tudo o que enfrentou em sua vida profissional durante a pandemia” ela acabou o xingando, da forma como corriqueiramente parte da população tem feito por protesto.

Abaixo, a defesa técnica na íntegra divulgada pelos advogados.

“A defesa técnica, constituída pelos advogados Marcello Martins e Luiz Augusto Guimarães, representando os interesses da Sra. Maria (nome fictício), apresenta à imprensa a sua versão dos fatos:

Maria estava em viagem com sua família para a cidade de Aparecida, quando viu o Presidente da República acenando para motoristas as margens da rodovia Presidente Dutra. Maria é uma profissional de saúde, e num momento de grave estresse em decorrência do engarrafamento e por tudo o que enfrentou em sua vida profissional durante a pandemia, num momento de desabafo, exclamou a expressão "Filho da P*ta"!

Maria estava dentro do carro, no banco do carona, e distante do Sr. Presidente da República. Mas policiais rodoviários federais ouviram o que ela disse e a detiveram. Militares foram apontados para servirem como testemunha e ela foi conduzida para prestar depoimento.

É importante frisar que a Sra. Maria não conhece e nem mencionou qualquer coisa sobre o termo "noivinha do Aristides", conforme vem sendo noticiado por toda a imprensa nacional. Sua expressão de indignação ocorreu de forma espontânea, como ocorre diariamente no país que se encontra severamente polarizado.

No momento ela está muito apreensiva e temerosa devido a repercussão do caso, sobretudo porque lhe foram atribuídas palavras que ela nunca mencionou.

O processo encontra-se em segredo de Justiça, e a defesa técnica já requereu acesso aos autos, aguardando a liberação por parte da Justiça Federal.”

Em nota, a Polícia Federal informou que foi lavrado um termo circunstanciado pelo crime de injúria. A mulher foi liberada após assumir o compromisso de comparecer em juízo, como determina a lei. Como mencionado pela defesa, o processo segue em segredo de Justiça.

Na tarde desta terça-feira, 30, policiais militares do 10º Batalhão apreenderam drogas e materiais de comunicação pertencentes ao tráfico no bairro Areal, em Barra do Piraí.

Segundo o boletim de ocorrência, por volta das 14h20, a apreensão ocorreu na Rua Balbina Alves Raposo, no encontro com a Rua Niterói, em uma área de mata. Os agentes foram até o local após denúncias anônimas e flagraram suspeitos em uma casa com um cadeado arrombado, que ao perceberem a presença dos policiais, fugiram pela mata.

Na casa, foram encontrados sete pinos de cocaína, oito tiras de maconha, dois rádios comunicadores, uma base para rádio, um binóculo e outros materiais.

Os entorpecentes, além de todo o equipamento, foram apreendidos e encaminhados para a 88ª Delegacia de Polícia Civil de Barra do Piraí, onde o caso foi registrado. Os suspeitos que fugiram não foram localizados.

Nesta segunda-feira, 29, policiais militares do 10º Batalhão apreenderam uma grande quantidade de drogas em uma operação realizada no bairro Caixa D’água, em Barra do Piraí.

Segundo o boletim de ocorrência, após receberam informações de denúncia anônima, os agentes do Grupamento de Ações Táticas (GAT), da Polícia Militar, foram até a parte mais alta do bairro onde conseguiram encontrar 77 sacolés de maconha, 51 pinos de cocaína e 17 frascos de cheirinho da Loló, além de mais 180 pinos vazios, seis rádios transmissores e uma base para rádio comunicador, usados para a comunicação entre traficantes da facção criminosa que comanda o tráfico de drogas na localidade. Dois suspeitos conseguiram fugir, após perceberem a presença dos policiais.

As drogas e todo o material foram encaminhados para 88ª Delegacia de Polícia Civil de Barra do Piraí, onde o caso foi registrado.

Rua Ana Nery, 120 - 9º andar
Centro, Barra do Piraí - RJ
CEP 27123-150
Tel.: (24) 2443-1470 (AM)
(24) 2443-1098 (FM)

Boletim Eletrônico

Cadastre-se e fique sabendo da nossa programação em primeira mão!